Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil proteômico salivar de bebês com Síndrome Congênita relacionada ao Zika Vírus

Processo: 16/23913-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado
Beneficiário:Adassa Bianca Gomes Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Proteoma   Saliva   Vírus Zika   Bebês   Biomarcadores   Técnicas e procedimentos diagnósticos

Resumo

O uso de saliva é uma opção que deve ser considerada para parâmetros de monitoramento de saúde e doença não só por causa de seus vários componentes, mas também porque é um método não invasivo, indolor e de fácil obtenção. Identificar e medir biomarcadores salivares cria perspectivas para o diagnóstico, a detecção precoce da doença e o monitoramento da sua progressão, antecipando o início do tratamento. O presente estudo tem como objetivo explorar o uso de saliva para a detecção do RNA do vírus Zika (ZIKAV) em bebês com Síndrome Congênita relacionada ao ZIKAV (microcefalia). A amostra será composta por 40 bebês, sendo 20 saudáveis para controle negativo e 20 que apresentam síndrome congênita do Zika vírus (microcefalia). As mães responderão um questionário relatando quais sinais e sintomas tiveram relativos à doença durante a gestação e como foi dado o diagnóstico da doença. Serão feitas as coletas da saliva dos bebês pelo método preconizado por Siqueira et al, 2005. Ato contínuo serão adicionados às amostras a solução estabilizadora RNAlater® (Sigma-Aldrich), afim de evitar a degradação do RNA total da saliva. As amostras serão congeladas a -80ºC até posterior análise. Inicialmente serão realizadas as extrações do RNA total das amostras de saliva utilizando o kit QIAamp Viral RNA Mini Kit (52906- Applied Biosystems, Life Technologies, EUA), seguidas pela quantificação e avaliação da qualidade do RNA por meio do espectrofotômetro. Em seguida, será realizado o tratamento de todas as amostras de RNA total com DNAse afim de evitar a possibilidade de contaminação por DNA genômico. Posteriormente, será realizada a transcrição reversa seguida pela Reação em Cadeia da Polimerase quantitativa (RT-qPCR). Os resultados serão analisados com base nos valores de Ct (cicle threshold ou ciclo limiar), sendo este o ponto correspondente ao número de ciclos onde a amplificação atinge dado limiar, o qual permite a análise quantitativa da expressão do gene alvo, e então serão comparadas as diferenças entre os ciclos das amostras do grupo controle e das amostras do grupo que apresentam síndrome congênita do Zika vírus (microcefalia). Os dados obtidos serão analisados por meio do teste de Análise de Variância (ANOVA) a um critério, e para o teste entre os grupos será aplicado o Teste de Tukey para comparações múltiplas, adotando-se um nível de significância de 5%. (AU)