Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção e caracterização molecular de agentes Anaplasmataceae, Bartonellaceae e Mycoplasmaceae em quirópteros amostrados em região periurbana no Centro-Oeste brasileiro

Processo: 17/14124-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcos Rogério André
Beneficiário:Priscila Ikeda
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/13232-3 - Microbioma bacteriano de ectoparasitas, saliva e fezes de morcegos não hematófagos: uma abordagem metagenômica, BE.EP.DR
Assunto(s):Chiroptera   Artrópodes   Morcegos   Anaplasmataceae   Bartonellaceae   Mycoplasmataceae   Região Centro-Oeste   Campo Grande (MS)   Brasil

Resumo

Estima-se que 75% das doenças emergentes compreendam zoonoses, cuja maioria tem como fontes de infecção animais selvagens; destas, cerca de 22,8% são veiculadas por vetores artrópodes. Desta forma, monitorar a presença de patógenos em animais selvagens em nichos compartilhados com seres humanos se torna um importante método preventivo de infecções zoonóticas, haja vista a busca atual pela saúde integrada "One Health". As famílias Bartonellaceae e Anaplasmataceae englobam alfa-proteobactérias gram-negativas, intracelulares facultativas e obrigatórias, respectivamente, que vêm sendo identificadas em uma ampla variedade de mamíferos, incluindo seres humanos. Já os micoplasmas hemotróficos são bactérias gram-negativas, de localização epieritrocitária, que podem causar desde infecções assintomáticas até anemia hemolítica severa, tanto em animais como em humanos. Pouco se sabe a respeito da ocorrência de agentes Anaplasmataceae, Bartonellaceae e Mycoplasmaceae em quirópteros e seus ectoparasitas no Brasil. Morcegos podem ser parasitados por uma grande diversidade de ectoparasitas, destacando-se as moscas das famílias Streblidae e Nycteribiidae, e os ácaros das famílias Spinturnicidae e Macronyssidae. Considerando os patógenos de interesse em saúde pública supracitados, a vasta ocorrência de animais da ordem Chiroptera e o pouco conhecimento sobre as interações dos referidos agentes com estes possíveis reservatórios e seus ectoparasitas, almeja-se obter informações de importância epidemiológica sobre a ocorrência e diversidade genética de agentes Anaplasmataceae, Bartonellaceae e Mycoplasmaceae em quirópteros de área periurbana de Campo Grande, estado do Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste brasileiro. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.