Busca avançada
Ano de início
Entree

Tráfego intracelular de SepA

Processo: 17/25248-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 19 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 01 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Waldir Pereira Elias Junior
Beneficiário:Fernanda Batista de Andrade
Supervisor no Exterior: Emiliano Fernando Navarro Garcia
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Instituto Politécnico Nacional (IPN), México  
Vinculado à bolsa:14/18286-0 - Papel da serino protease SepA nas atividades citotóxicas e pró-inflamatória induzidas por Escherichia coli enteroagregativa, BP.DR
Assunto(s):Escherichia coli

Resumo

Escherichia coli enteroagregativa (EAEC) é um enteropatógeno emergente, associado a diarreia aguda e persistente em crianças e adultos em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Em 2011, um impactante surto de diarreia afetou muitos países europeus, levando a várias mortes devido ao desenvolvimento da síndrome hemolítica urêmica. Este surto foi causado por uma cepa E. coli produtora da toxina Shiga do sorotipo O104:H4. O sequenciamento do genoma indicou que a cepa O104:H4 era de fato uma EAEC que recebeu o fago que codifica a toxina Shiga 2 (Stx2), que é a principal característica da E. coli que produz toxina de Shiga (STEC). Esta estirpe híbrida apresenta vários fatores de virulência, incluindo as proteínas SPATEs (Serine Proteases Autotransporters of Enterobacteriaceae) que são secretadas pelo sistema de secreção tipo V, também conhecido como autotransportadores. SPATEs estão presentes em todos os membros das Enterobacteriaceae e são definidos como importantes fatores de virulência em vários agentes patogênicos. A proteína extracelular A de Shigella (SepA) é um SPATE que foi originalmente descrita em Shigella flexneri 2a, e mais tarde na EAEC. Esta proteína é classificada como SPATE Classe II, um grupo que inclui as proteases com atividades imunomoduladoras. SepA aparentemente participa da destruição do tecido epitelial induzida por Shigella flexneri; no entanto, não apresenta efeito citotóxico nas células HEp-2 e seu tráfego celular e alvo são desconhecidos. As cepas de EAEC que produzem SepA são epidemiologicamente associadas à diarreia, mas seu papel na patogênese da diarréia da EAEC permanece desconhecido. O projeto de doutorado associado a esta proposta BEPE visa determinar se SepA está envolvida nos efeitos citotóxicos e inflamatórios causados pela EAEC. Até agora, SepA foi purificada e seu efeito citotóxico em células HeLa e Y-1 foi demonstrado. Anticorpos contra SepA foram obtidos e uma cepa EAEC produtora de SepA foi selecionada de nossa coleção EAEC. Portanto, a proposta atual do BEPE visa estudar o tráfego celular de SepA nas células intestinais.