Busca avançada
Ano de início
Entree

Intervalos de referência do índice de choque no quarto período do parto

Processo: 17/18660-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Anderson Pinheiro
Beneficiário:Filipe Moraes Ribeiro
Instituição-sede: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Obstetrícia   Puerpério   Hemorragia   Sinais vitais   Choque

Resumo

Introdução: Hemorragia é a principal causa de morte materna em todo mundo, e elevação no Índice de Choque (IC) tem sido associada com desfechos maternos graves devido a Hemorragia Pós-Parto (HPP), entretanto não existem na literatura valores de referência esperados para o IC no período puerperal. Objetivos: Determinar intervalos de referência do Índice de Choque nas primeiras duas horas do puerpério em mulheres sem comorbidades, bem como avaliar se idade materna, Índice de Massa Corpórea e analgesia periparto interferem nesses valores. Métodos: será realizada uma análise secundária de dados coletados em estudo de coorte prospectiva, com 270 mulheres recrutadas durante o trabalho de parto e seguidas até depois do parto. A população de estudo constituiu-se por mulheres gestantes de qualquer idade, admitidas em fase ativa de trabalho de parto, com gestações únicas de fetos vivos, em idade gestacional superior a 34 semanas. Imediatamente após o desprendimento das espáduas fetais, foi colocado sob as nádegas da paciente um coletor de sangue estéril com receptáculo calibrado. A perda sanguínea foi avaliada objetivamente através da soma do montante sanguíneo presente no coletor ao conteúdo sanguíneo presente em compressas, absorventes e fraldas, quando utilizados. A análise exploratória de dados será realizada para avaliação da média, desvio padrão, valores mínimos e máximos, mediana, frequência, porcentagem e percentis. As diferenças estatísticas serão calculadas com o teste não paramétrico de Mann-Whitney. Será, então, realizada uma regressão múltipla linear e, por fim, os dados serão analisados corrigidos por índice de massa corpórea, analgesia e idade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: