Busca avançada
Ano de início
Entree

Proteoma de espermatozóide bovino: identificação de biomarcadores de sucesso para fertilidade

Processo: 18/21409-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Eduardo Gualtieri de Andrade Perez
Beneficiário:Eduardo Gualtieri de Andrade Perez
Empresa:Convet Reprodução e Saúde Animal Ltda
CNAE: Criação de bovinos
Vinculado ao auxílio:16/00976-6 - Proteoma de espermatozóide bovino: identificação de biomarcadores de sucesso para fertilidade, AP.PIPE
Assunto(s):Biotecnologia da reprodução   Andrologia   Proteoma   Sêmen   Espermatozoides animal   Fertilidade   Biomarcadores   Bos taurus indicus   Criopreservação

Resumo

A fertilidade tanto em machos como em fêmeas têm sido uma preocupação em humanos, assim como nos animais domésticos e silvestres. Nos dias atuais, o sêmen congelado é o mais utilizado quando pensamos nas biotecnologias da reprodução animal, visando à manutenção da qualidade e fertilidade dos ejaculados após o processamento e estocagem. Além das perdas de células viáveis durante a criopreservação, existe grande variabilidade individual entre diferentes reprodutores. Com o desenvolvimento de tecnologias mais sensíveis e seletivas, como a espectroscopia de massas, é possível identificar e quantificar uma grande quantidade de proteínas. Assim, o presente estudo tem como principal objetivo o de avaliar o diferencial de fertilidade de touros e congelabilidade do semen bovino, entre indivíduos numa mesma população, baseando-se pelo perfil de proteínas de membranas de espermatozóides. Para isso, utilizaremos a proteômica, análises espermáticas pós congelamento e a produção in vitro de embriões bovinos. Pretende-se identificar marcadores que auxiliem a indicação do potencial reprodutivo animal, os mesmos poderão contribuir no melhoramento genético animal e na produção de uma forma mais ágil na quantificação desses marcadores. A utilização e padronização de testes laboratoriais para estimar a fertilidade dos touros doadores de sêmen revela-se de extrema importância, pois permitirá equacionar as necessidades do mercado globalizado atual com os produtores e as centrais de inseminação artificial. Cabe salientar também, que a realidade da pecuária nacional converge a programas de melhoramento genético baseados em animais Zebuínos (Bos taurus indicus) devido a sua grande adaptabilidade as nossas condições. Assim faz-se necessário, estudos abrangendo a predição de fertilidade em zebuínos, ou até mesmo taurinos mantidos em condições nacionais. A identificação de marcadores espermáticos para fertilidade pode incrementar não apenas as biotecnologias reprodutivas, mas também auxiliar na busca de novas terapias para infertilidade, tanto em humanos quanto nos animais. Além de permitir um melhor esclarecimento de partidas diferentes de um mesmo touro ou do efeito da criopreservação ou sexagem do sêmen. (AU)