Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de protetor solar para minimizar os efeitos dos estresses climáticos sobre a fotossíntese e fixação de frutos em citros

Processo: 18/18792-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Dirceu de Mattos Junior
Beneficiário:Isabela Macca de Franceschi
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia da reprodução   Citricultura   Estresse ambiental   Fotossíntese   Frutificação   Floração   Citrus   Adubação foliar

Resumo

A citricultura do estado de São Paulo e sul do Triângulo Mineiro tem sofrido perdas de safra nos últimos anos devidas as mudanças do clima, caracterizadas pelo aumento extremo da radiação luminosa e da temperatura do ar em períodos críticos do desenvolvimento das plantas. Já se estimou que essa perda nos pomares superou 30 milhões de caixas (40,8 kg) de laranjas em anos desfavoráveis devido a abscisão de botões florais e frutos jovens. Neste cenário, prejuízos às plantas são associados ao fechamento estomático, redução na fotossíntese e na produção de assimilados, além da alteração no balanço hormonal. Ainda, em condições de estresse por alta radiação e temperatura, as plantas ficam sujeitas ao aumento da produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) nas folhas que provocam danos ao DNA, proteínas e membranas. A aplicação foliar de produtos que atuam semelhantemente a um protetor solar [e.g. silicatos hidratados de alumínio ou caulim; Al4Si4O10(OH)8, produto branco, não abrasivo e quimicamente inerte] pode prevenir o dano foto-oxidativo, pela redução na temperatura foliar, manutenção da abertura estomática e melhoria na assimilação de CO2. Além disso, o caulim tem-se mostrado eficiente para repelir insetos, como o psilídeo (Diaphorina citri) transmissor da bactéria Candidatus Liberibacter ssp. causadora do HLB, cuja uso deverá ser adotado como prática de manejo pelos citricultores. Com a hipótese que a aplicação foliar do caulim nas folhas de citros sob estresse reduz a produção de EROs, mantem maior assimilação de CO2 e melhora a fixação de frutos jovens, se propõe estudar a aplicação durante o período de floração e frutificação da laranjeira Valência em condições de campo, entre o inicio da brotação e o final da queda fisiológica dos frutos. Periodicamente será avaliado o desenvolvimento de flores e frutos, assimilação de CO2 e fluorescência da clorofila a, assim como a concentração de clorofilas e carboidratos metabolizáveis nas folhas. Os resultados do trabalho proposto permitirão estimar a contribuição ou limitações do uso do caulim em pomares jovens de citros, como prática importante para a manutenção da sanidade e produtividade dos pomares.