Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de filme de partículas de cobertura para modular a temperatura das folhas e o estresse térmico em citros

Processo: 20/05381-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Dirceu de Mattos Junior
Beneficiário:Lucas Giovani Pastore Bernardi
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse térmico   Estresse abiótico   Citrus   Citricultura   Metabolismo vegetal   Nutrição mineral de plantas   Cálcio   Caulim

Resumo

Condições climáticas extremas, como alta irradiância e elevada temperatura do ar, causam distúrbios às plantas e impactam a produção e qualidade dos frutos cítricos. A citricultura é uma cadeia importante da agricultura mundial, que requer constante aumento na eficiência de produção dentro de grandes patamares da sustentabilidade. Sob estresse, florescimento e frutificação das árvores são prejudicados, dentre o qual, excesso de radiação UV afeta a fotossíntese. Também, a elevada temperatura do ar causa aumento da produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) que danificam a estrutura vegetal. Produtos comerciais, como filmes de cobertura contra alta irradiância, vêm sendo desenvolvidos para minimizar esses prejuízos e otimizar a produção no campo, diante do cenário de mudanças do clima. Contudo não se dispõe de informações precisas para seu uso. Assim, busca-se avaliar a distribuição de partículas de dois tipos de filmes protetores, do tipo caulim e óxido-carbonato de cálcio, na superfície da folha sob microscopia de luz, e efeitos da sua aplicação na cutícula e no arranjo anatômico da lâmina foliar comparados com dois tratamentos controle sem o filme (variando irradiância), caracterizar a concentração e distribuição de elementos minerais por análise química de nutrientes totais, EDX e XRF, determinar o balanço de compostos antioxidantes e produtos do estresse oxidativo no tecido foliar e a eficiência do aparato fotossintético. O experimento será conduzido ao ar livre, com quatro tratamentos: T1: Controle pleno sol (pulverizado com água), T2: Controle protegido, sob plástico transparente anti-UV (pulverizado com água), T3: Caulim pulverizado [pó molhável, 1 µm (30 g L-1) ] e T4: Óxido-carbonato de cálcio pulverizado [pó molhável, <1 µm (30 g L-1)], com 6 repetições por tratamento, representadas por uma planta. Os tratamentos serão aplicados cerca de 15 dias antes do período de maior irradiância e temperatura elevada do ar (outubro e novembro) com avaliações realizadas por até 30 dias. Será realizada ANOVA para cada variável avaliada, e quando significativa, será utilizado o teste de Tukey, com intervalo de confiança a 95%. (AU)