Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise metabolômica do plasma de pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial: busca por biomarcadores de refratariedade medicamentosa

Processo: 19/00213-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Iscia Teresinha Lopes Cendes
Beneficiário:Alexandre Barcia de Godoi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Neurociências   Metabolômica   Epilepsia do lobo temporal   Interações de medicamentos   Tratamento farmacológico   Perfil metabólico   Biomarcadores

Resumo

As epilepsias são definidas como um conjunto de síndromes de caráter crônico, caracterizadas por alterações no padrão de descargas elétricas geradas pelo cérebro e que têm em comum a ocorrência de crises epilépticas. Dentre os mais diversos tipos de epilepsias, a Epilepsia do Lobo Temporal Mesial (ELTM) destaca-se devido a sua prevalência e pela alta presença de refratariedade ao tratamento farmacológico. Devido à dificuldade em prever quais pacientes serão refratários ao tratamento medicamentoso, tratamentos alternativos para redução de crises, como cirurgias, podem levar muitos anos para serem indicados. Desta forma, a busca por novos biomarcadores de refratariedade medicamentosa se faz necessária, sendo a abordagem metabolômica para esta finalidade vantajosa por permitir uma maior proximidade dos produtos metabólicos com o estado fenotípico, possuir alta sensibilidade e especificidade na detecção destes analitos, além da possibilidade de analisar o perfil de metabolização de fármacos. Este projeto tem como objetivo principal analisar o perfil metabólico do plasma de controles (indivíduos sem histórico de epilepsia) e pacientes com ELTM, divididos em dois grupos de resposta ao tratamento: responsivos e refratários, a fim de identificar biomarcadores que possam auxiliar na predição da refratariedade medicamentosa. O metabolôma dos grupos de pacientes será analisado por meio da técnica de Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear de H¹ (RMN-H¹), que permite a análise de amostras complexas sem a necessidade de técnicas cromatográficas e permite uma análise quantitativa mais simples das concentrações dos metabólitos. Os perfis obtidos de ambos os grupos de pacientes serão comparados utilizando os softwares MestreNova, Matlab, Metaboanalyst e o banco de dados HMDB, a fim de identificar metabólitos que possam auxiliar na predição de refratariedade medicamentosa de pacientes com ELTM.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.