Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto de inibidores epigenéticos na modulação in vitro de células t CD8 humanas

Processo: 19/09366-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Tiago da Silva Medina
Beneficiário:Dálete Lohannye dos Santos Barcelos
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Epigênese genética   Linfócitos T   Inibidores   Elementos de resposta   Biomarcadores tumorais   Técnicas in vitro

Resumo

Células T CD8 possuem como característica principal a capacidade de eliminar células alvo que apresentem antígenos estranhos. Este processo é fundamental para a eliminação antigênica e para o reestabelecimento da homeostase do organismo. De modo geral, este processo é extremamente eficiente em infecções agudas, em que há ativação e proliferação de clones específicos, eliminação antigênica, contração da resposta de linfócitos e indução de memória imunológica. Entretanto, a persistência antigênica em casos de infecções virais crônicas e cânceres resulta em ativação constante do receptor de células T (TCR). A depender da repetitividade, duração e magnitude da ativação do TCR, as células T CD8 podem adquirir um perfil de exaustão celular. A ativação excessiva e sustentada está intrinsecamente relacionada com a indução da exaustão de linfócitos T. Como consequência, os linfócitos tornam-se funcionalmente ineficazes e incapazes de eliminar infecções virais crônicas ou tumores. Neste sentido, a identificação e a caracterização de drogas capazes de modular positivamente a resposta de linfócitos T CD8 são essenciais para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas em cenários complexos como o câncer. Neste projeto, nós avaliaremos a atividade modulatória de dois grupos de inibidores epigenéticos sobre a função efetora de linfócitos T CD8 humanos. Como sustentáculo da nossa hipótese, mostramos recentemente que moduladores epigenéticos influenciam a atividade de linfócitos T CD4 murinos e humanos, alguns favorecendo a resposta regulatória, com o aumento funcional de células T reguladoras, e outros favorecendo a resposta pró-inflamatória, com indução aumentada de mediadores pró-inflamatórios, como IFN-gama e TNF-alfa. Lançamos, portanto, a hipótese de que moduladores epigenéticos possam atuar como reguladores da resposta de linfócitos T CD8 humanos. Acreditamos que os moduladores epigenéticos que serão testados neste projeto têm um enorme potencial para a regulação da resposta efetora de linfócitos T CD8 e poderão ser utilizados como estratégia terapêutica para o controle tumoral.