Busca avançada
Ano de início
Entree

Sítios de protonação e coordenação de glifosato com metais

Processo: 19/12808-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Thiago Carita Correra
Beneficiário:Guilherme Obeid
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/15962-5 - Mecanismos de reação de sistemas catalíticos assimétricos por espectrometria de massas e espectroscopia vibracional de íons na fase gasosa, AP.JP
Assunto(s):Meio ambiente   Glifosato   Biodisponibilidade   Espectrometria de massas   Espectroscopia vibracional

Resumo

O glifosato é um defensivo agrícola utilizado em larga escala mundialmente, associado principalmente ao cultivo da soja transgênica. Esse herbicida é suspeito de estar associado a casos de câncer e outras doenças, o que promoveu um grande movimento pelo seu banimento, sobretudo na Europa. Entretanto, por conta das regulamentações nacionais, o Brasil continua sendo um grande usuário desse defensivo e alguns estudos sugerem que o uso deste deve até aumentar em nosso país, devido à diminuição de demanda em outros mercados. Apesar de ainda não ter sido claramente elucidada, a relação dessa espécie com organismos depende, entre outros fatores, da sua biodisponibilidade e da sua dispersão no meio. Por esse motivo, estudos fundamentais do glifosato se fazem necessários. Dada a natureza desse composto, que possui diversos grupos funcionais, torna-se importante determinar de forma precisa a sua ordem de protonação e desprotonação, assim como a interação com íons metálicos presentes no ambiente. Para tanto, diversas técnicas espectrométricas foram utilizadas, incluindo a técnica de ressonância magnética nuclear (RMN) de 1H e estudos de estrutura de raios X de sais de glifosatos e metais variados, como Ca2+, por exemplo. Os resultados obtidos por essas técnicas, entretanto, estão em discussão, como é o caso da ordem de protonação determinada por RMN de 1H, ou são consideradas complementares, como o caso da difração de raios X, por realizarem medições em condições experimentais muito distantes das condições ambientais. Por esse motivo, o presente projeto propõe o uso da espectrometria de massas acoplada a técnica de espectroscopia vibracional de íons, suportada por cálculos de estrutura eletrônica, para identificar os diferentes isômeros formados pelos processos de protonação, desprotonação e coordenação com o glifosato. Dessa forma, pretende-se obter no nível molecular uma descrição definitiva do equilíbrio de protonação dessa espécie em solução e os motivos de coordenação apresentados por essas espécies.