Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do pico e taxa de desenvolvimento do torque isométrico, concêntrico e excênctrico flexor do joelho de mulheres com e sem dor femoropatelar

Processo: 19/13405-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 08 de setembro de 2019
Vigência (Término): 19 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fábio Mícolis de Azevedo
Beneficiário:Ronaldo Valdir Briani
Supervisor no Exterior: Christian Barton
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Local de pesquisa : La Trobe University, Austrália  
Vinculado à bolsa:17/20483-7 - Estudo dos ângulos de acoplamento, variablidade e coordenação do tronco e membro inferior de mulheres com e sem dor femoropatelar durante a subida e descida de escada antes e após a exacerbação da dor, BP.DR
Assunto(s):Biomecânica

Resumo

A dor femoropatelar (DFP) é um distúrbio musculoesquelético comum que afeta homens, mulheres e adolescentes. Músculos como os isquiotibiais podem influenciar a mecânica articular do joelho e femoropatelar durante atividades funcionais. De fato, estudos experimentais mostraram que a aplicação de cargas nos isquiotibiais contribui para o desalinhamento femoropatelar lateral e a pressão de cartilagem elevada, principais contribuintes para a DFP. No entanto, permanece desconhecido se as mulheres com DFP apresentam força muscular alterada dos isquiotibiais. Até o momento, nenhum estudo foi realizado investigando o pico de torque do flexor do joelho e o desenvolvimento da taxa de torque, ambas variáveis importantes durante atividades funcionais e esportivas. Portanto, o objetivo deste estudo é comparar o pico de torque flexor de joelho isométrico, concêntrico e excêntrico e a taxa de desenvolvimento de torque entre mulheres com e sem DFP. Vinte e quatro mulheres com DFP e vinte e quatro controles assintomáticos serão recrutados para participar do estudo. O torque isométrico, concêntrico e excêntrico dos flexores de joelho serão obtidos por meio de um dinamômetro isocinético. A taxa de desenvolvimento do torque será calculada como a mudança no torque durante a mudança do tempo desde o início do torque até 30%, 60% e 90% do torque máximo durante contrações isométricas, concêntricas e excêntricas. O pico do torque flexor de joelho será o valor máximo dessa variável. O torque máximo isométrico / concêntrico / excêntrico e a taxa de variáveis de desenvolvimento de torque dos flexores de joelho serão comparados entre os grupos usando testes t independentes e os tamanhos de efeito também serão calculados.