Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da fragilidade como indicador prognóstico em indivíduos com doença renal crônica

Processo: 19/20668-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Mariana de Souza Dorna
Beneficiário:Elizabete Mouzinho Soares Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Nefrologia   Insuficiência renal crônica   Mortalidade   Fragilidade   Prognóstico

Resumo

Aproximadamente 26 milhões de pessoas foram diagnosticadas com doença renal crônica (DRC), apenas no Estados Unidos. É doença que acomete de maneira mais ampla indivíduos com idade avançada, mas, apesar disso, é considerada um problema de saúde pública, devido a sua prevalência mundial. A fragilidade é definida como uma síndrome multidimensional caracterizada pela perda da capacidade física e cognitiva que leva ao aumento da vulnerabilidade à eventos adversos. A fragilidade faz-se bastante prevalente entre a população com DRC, chegando a ser >60% em indivíduos em hemodiálise e é considerada um fator de piora de função renal além de apresentar risco aumentado para hospitalização e mortalidade. O objetivo do estudo é avaliar a associação da fragilidade, por meio do Clinical Frailty Score e do Frail Score, com o desfecho combinado taxa de internação hospitalar e mortalidade em pacientes em hemodiálise crônica no período de 6 meses após a avaliação. Serão avaliados exames laboratoriais da rotina da Unidade de Diálise e aplicadas escalas de fragilidade. A reavaliação será realizada 6 meses após essa primeira avaliação e terá como objetivo associar a fragilidade ao desfecho combinado. Desta forma, espera-se melhor entendimento da fragilidade no contexto da DRC tanto do ponto de vista científico quanto terapêutico.