Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre hábitos orais e cefaleia em pacientes com DTM dolorosa

Processo: 19/18861-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves
Beneficiário:Deise Isabela Moreira dos Anjos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Transtornos da cefaleia primários   Síndrome da disfunção da articulação temporomandibular   Bruxismo   Enxaqueca sem aura

Resumo

Introdução: A disfunção temporomandibular (DTM) é uma das condições dolorosas mais frequentes na região orofacial e sua fisiopatologia envolve processos de sensibilização periféricos e centrais. Esta condição está frequentemente associada a condições comórbidas, como as cefaleias primárias e a cefaleia secundária atribuída a DTM. A presença e frequência de hábitos orais parafuncionais podem influenciar a DTM, piorando seu prognóstico e aumentando a refratariedade ao tratamento. Objetivos: O objetivo geral do presente estudo será investigar a influência dos hábitos parafuncionais na associação entre DTM e migrânea, e entre DTM e cefaleias atribuídas à DTM, após correta identificação e correção dos fatores de confusão. Material e Método: A amostra será composta por 103 indivíduos adultos, com 20 a 65 anos de idade. A DTM será classificada de acordo com os critérios do RDC-TMD. A presença e a frequência de hábitos orais parafuncionais foram avaliadas através de um Questionário de Hábitos Orais. As cefaleias primárias serão classificadas seguindo os critérios da Sociedade Internacional de Cefaleias (The International Classification of Headache Disorders, 3rd edition), e a cefaleia secundária de acordo com os critérios propostos por Schiffman et al. 2012. Análise dos Dados: A amostra será estratificada em 3 grupos: DTM; DTM e migrânea (DTM-M); DTM e cefaleia atribuída à DTM (DTM-cA). Para o estudo das associações de interesse serão utilizadas estatísticas descritivas para caracterização da amostra de acordo com os grupos de estudo. Os dados demográficos, sintomas de depressão, sintomas de ansiedade e os hábitos parafuncionais serão analisados para cada grupo. Os testes Mann-Whitney e Kruskal-Wallis serão utilizados para variáveis quantitativas e que apresentem distribuição normal, e o Teste Qui-Quadrado e Exato de Fisher para variáveis qualitativas, com nível de significância de p>0,05. Ainda, serão construídos modelos de regressão independentes para verificar se a presença e frequência dos hábitos parafuncionais (variáveis dependentes) influenciam na associação entre DTM e as cefaleias em questão (variáveis independentes). As variáveis: idade, gênero, classificação étnico-racial e socioeconômica, sintomas depressivos e de ansiedade poderão ser incluídas como possíveis variáveis de confusão.