Busca avançada
Ano de início
Entree

Monogenéticos (Platyhelminthes, Monogenea) parasitos de Moenkhausia forestii (Characiformes, Characidae) provenientes da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Cisalpina, Mato Grosso do Sul, Brasil: caracterização morfológica e molecular

Processo: 19/20269-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Beneficiário:Gabriela Peres de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Zoologia (classificação)   Recursos pesqueiros   Águas interiores   Parasitos   Peixes   Platyhelminthes   Moenkhausia   Análise morfológica   Microscopia de interferência

Resumo

Por deter uma grande extensão territorial e a maior rede hidrográfica do planeta, o Brasil é contemplado com uma das maiores diversidades ictiofaunísticas de água doce do mundo. Proporcionalmente a diversidade de peixes, a de parasitos de peixes também apresenta uma grande variedade. Contudo, muito dessa riqueza deve ainda ser investigada, visto que os parasitos podem indicar vários aspectos biológicos de seus hospedeiros, além de serem indicadores de qualidade ambiental; desempenham um importante papel nos diversos ecossistemas; regulam a abundância ou densidade das populações de hospedeiros; estabilizam as cadeias alimentares, etc. Algumas espécies de Characidae são amplamente distribuídas no Brasil, entre elas, Moenkhausia forestii Benine, Mariguela et Oliveira, 2009, popularmente conhecida como "lambari" ou "piaba". Até o presente momento, apenas duas espécies de monogenéticos foram relatadas neste hospedeiro e nenhuma abordagem molecular foi realizada estes parasitos. Dessa forma, o objetivo do presente estudo é avaliar a fauna de monogenéticos parasitos associados a M. forestii procedente da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Cisalpina, Mato Grosso do Sul, Brasil. O estudo taxonômico será realizado com monogenéticos previamente coletados e preparados, de acordo com metodologia apropriada para análises morfológicas e moleculares. Estes parasitos foram coletados em 60 peixes, amostrados com peneira ou rede de cerco. As coletas foram realizadas de acordo com a autorização SISBIO 60640-1 e da Comissão de Ética em Experimentação Animal (Protocolo CEUA 1093). Análises morfológicas e morfométricas dos parasitas serão realizadas utilizando-se sistema computadorizado de análise de imagem com Contraste de Interferência Diferencial. Serão calculados para esses monogenéticos os descritores ecológicos do parasitismo (prevalência [P], intensidade média de infestação [IMI] e abundância média [AM]). Para a análise molecular, o DNA nuclear e mitocondrial de amostras de parasitos será extraído e amplificado com primers para os genes 28S e COI. Em seguida, será realizada a reconstrução filogenética pelos métodos de Máxima Verossimilhança e Inferência Bayesiana. Espera-se com o presente estudo contribuir com o conhecimento da fauna de parasitas de peixes na região Neotropical.