Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação genético-molecular de pacientes com SCID: imunopatologia, comorbidades, e susceptibilidade genética a infecção pelo Zika Vírus em humanos

Processo: 19/27294-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Antonio Condino Neto
Beneficiário:Letícia Gomes de Pontes
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/22158-3 - Mecanismos genético-moleculares nas imunodeficiências primárias, AP.TEM
Assunto(s):Genes   Imunopatologia   Imunodeficiência combinada severa   Comorbidade   Suscetibilidade a doenças   Vírus Zika   Humanos

Resumo

As Imunodeficiências Primárias (IDPs) são um grupo heterogêneo de doenças genéticas com repercussões na resposta imune. A imunodeficiência combinada grave (SCID) é caracterizada principalmente por profunda deficiência de linfócitos T, que afeta a imunidade celular e humoral, e gera anormalidades graves no desenvolvimento e funções do sistema imune. Recém-nascidos com SCID apresentam a doença nos primeiros meses de idade e possuem grande susceptibilidade a infecções. Sem tratamento, essas condições são invariavelmente fatais, o que torna a SCID uma emergência pediátrica. O transplante com células-tronco hematopoiéticas não depende da descoberta do defeito molecular envolvido, porém essa investigação é importante pois representa uma prerrogativa para a terapia gênica, o aconselhamento genético e o diagnóstico pré-natal. Sendo assim, este trabalho tem por objetivo investigar defeitos genético-moleculares de pacientes com SCID identificados por meio de triagem neonatal (projeto previamente apoiado pela FAPESP 2012/51233-2) ou encaminhados por médicos colaboradores de diferentes regiões do país. Com isso, espera-se expandir o conhecimento sobre essa doença, adicionando às informações ainda incipientes sobre a epidemiologia de SCID no Brasil e contribuir para desenvolvimento e melhora de métodos diagnósticos e tratamentos para os indivíduos afetados, a fim de melhorar sua qualidade de vida, além de aconselhamento genético às famílias. Tendo em vista a gravidade do surto causado pelo ZIKV no Brasil e suas complicações, como a Síndrome de Guillain-Barré e a Microcefalia, faz-se necessário e estudo da resposta imune frente a esse patógeno, principalmente aqueles com foco em genes de resistência ou susceptibilidade. Sendo assim, entendendo a importância das vias de síntese e sinalização dos IFNs tipo I nesse contexto, propomos buscar por mapeamento genético, marcadores de resistência e susceptibilidade em pacientes infectados pelo ZIKV. Além disso, pretendemos em paralelo transpor os resultados obtidos para comprovação em modelo experimental, utilizando os modelos experimentais já estabelecidos em nosso laboratório. (AU)