Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da mobilidade funcional em indivíduos migranosos com e sem cinesiofobia

Processo: 19/26795-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Débora Bevilaqua Grossi
Beneficiário:Daiane Cristina da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/18031-5 - Estudo da associação de aspectos clínicos, funcionais e de neuroimagem em mulheres com migrânea, AP.TEM
Assunto(s):Cinesiologia aplicada   Enxaqueca sem aura   Dor musculoesquelética   Controle postural   Limitação de mobilidade   Mobilidade   Marcha (locomoção)   Inquéritos e questionários

Resumo

A migrânea é uma cefaleia primária com alto impacto socioeconômico e é composta por sintomas incapacitantes como náusea, vômito, fonofobia, fotofobia e osmofobia. Sabe-se que os indivíduos migranosos possuem déficits de equilíbrio e pior mobilidade durante a marcha. Além disso, metade da população migranosa pode apresentar medoirracional e excessivo do movimento e da atividade física, conhecido como cinesiofobia. Diante das evidências de que a cinesiofobia é responsável pelo comprometimento de atividades funcionais e também por ser um sintoma frequente em pacientes com migrânea, nosso estudo tem como objetivo analisar a relação entre a cinesiofobia e o equilíbrio e mobilidade da marcha de pacientes com migrânea. Este estudo contará com voluntárias com diagnóstico de migrânea realizado por neurologistas experientes de acordo com a Classificação Internacional das Cefaleias. Serão recrutadas voluntárias com relato de pelo menos três dias de dor por mês nos últimos três meses. As participantes responderão ao questionário Escala Tampa para Cinesiofobia e realizarão o teste Timed Up and Go (TUG) para avaliação da mobilidade funcional durante a marcha. As voluntárias serão divididas de acordo com a classificação da escala Tampa em 2 grupos: migrânea com cinesiofobia e migrânea semcinesiofobia. Dados demográficos, características clínicas da migrânea e o tempo de realização do TUG serão comparados entre esses dois grupos por meio do test t de Student para amostras independentes. Espera-se que os resultados deste estudo favoreçam a compreensão de aspectos relacionados aos déficits de mobilidade funcional apresentados pelos pacientes com migrânea, contribuindo para a elaboração de avaliação e tratamento que envolva as comorbidades associadas à migrânea.