Busca avançada
Ano de início
Entree

A influência do septo Pós-Pulmonar na mecânica ventilatória de tartarugas Trachemys scripta THUNBERG in SCHOEPFF, 1792 (Cryptodira: Emydidae)

Processo: 20/01289-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Wilfried Klein
Beneficiário:Ray Brasil Bueno de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Testudines   Reptilia   Pulmão   Ventilação   Fenômenos fisiológicos respiratórios

Resumo

Os répteis são o grupo que apresentam a maior diversidade do sistema respiratório. Essa grande diversidade morfológica se reflete em suas características mecânicas, de forma que não apenas o padrão de compartimentalização, mas o tipo e a distribuição do parênquima influenciam na complacência do pulmão. De forma geral os répteis apresentam um pulmão bastante complacente, sendo que a maior resistência mecânica reside nas paredes corpóreas. Dentre os répteis, as tartarugas apresentam a parede mais rígida, devido a presença do casco, e um pulmão multicameral. As tartarugas apresentam ainda um septo pós-pulmonar que isola, mas ainda assim conecta o pulmão com as demais vísceras, facilitando a transmissão do movimento. A influência do septo pós-pulmonar sobre a mecância do sistema respiratória de tartarugas nunca foi estudado até agora. Através de análise da mecânica ventilatória estática e dinâmica em animais intactos, com sistema respiratório exposto ainda com o septo e sem o septo, será possível quantificar a influência do septo pós-pulmonar na complacência e na mecânica ventilatória das tartarugas. Dessa forma, o presente projeto visa analisar a mecânica ventilatória de tartarugas da espécie Trachemys scripta, dando uma importância maior na influência do septo pós-pulmonar na mecânica dessa espécie, contribuindo com dados inéditos à uma área ainda muito escassa da fisiologia respiratória de répteis.