Busca avançada
Ano de início
Entree

Diferentes composições atmosféricas durante o armazenamento pós-colheita de uvaia: impacto nos compostos bioativos e perfil de voláteis

Processo: 23/04600-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2023
Vigência (Término): 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Angelo Pedro Jacomino
Beneficiário:Isabela Barroso Taver
Supervisor: Eleanor Wilhelmina Hoffman
Instituição Sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Queensland, Gatton (UQ), Austrália  
Vinculado à bolsa:22/08585-7 - Composição gasosa na conservação de uvaia: efeitos no perfil de compostos bioativos e atividade antioxidante, BP.DR
Assunto(s):Armazenagem em atmosfera controlada   Carotenoides   Pós-colheita   Uvaia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:atmosfera controlada | Carotenóides | Eugenia pyriformis Cambess | Pós-Colheita

Resumo

A uvaia (Eugenia pyriformis Cambess) é uma fruta nativa da Mata Atlântica com grande potencial de consumo. Sua composição química, sabor, aroma e propriedades funcionais que podem despertar o interesse do consumidor e da indústria. Porém, seu curto período de vida útil dificulta seu cultivo comercial. Tecnologias pós-colheita como refrigeração e alteração gasosa podem prolongar a vida útil da fruta bem como conservar sua qualidade. Experimentos utilizando atmosfera controlada, podem auxiliar na obtenção de informações inéditas sobre o tema, como as melhores concentrações gasosas para conservação in natura da fruta e influência da tecnologia em atributos característicos e importantes, como seu aroma e teor de compostos bioativos. Tendo em vista experimentos de atmosfera controlada já realizados com a uvaia, o objetivo do estudo é avaliar a influência de concentrações gasosas específicas (2% O2 + 15% CO2, 6% O2 + 6% CO2 e o controle - 21% O2 + 0,003% CO2) no aroma (compostos voláteis) e compostos bioativos (carotenoides e compostos fenólicos). Os resultados serão submetidos à análise de variância (ANOVA), teste de Tukey (5%). Espera-se que os resultados auxiliem na compreensão da fisiologia e bioquímica da fruta ao longo do armazenamento com modificação de atmosfera, bem como estabelecer possíveis relação entre os compostos voláteis da fruta e os carotenoides. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)