Busca avançada
Ano de início
Entree

Inclusao da pessoa com necessidades especiais no ensino regular: utopia ou realidade

Processo: 09/50403-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2009
Vigência (Término): 31 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Kátia de Freitas Alvarenga
Beneficiário:Fabiana Trevisani Silva
Instituição-sede: Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis. Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA). Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Ensino   Deficiências   Inclusão

Resumo

O processo de inclusão dos portadores de necessidades educativas especiais vem sendo atualmente, um tema em evidência, É também pauta de muitos debates e questionamentos o atendimento destinado as necessidades especiais desses portadores no ambiente escolar. Pode-se observar que a educação dos alunos portadores de necessidades especiais, tem sido discutida, na atualidade, com base na perspectiva da inclusão, mas o estabelecimento de diretrizes e ações políticas visando a efetiva inclusão, nas classes regulares de ensino, exige além de ousadia e coragem, prudência e sensatez para que se construa uma realidade de fato. O objetivo deste estudo não é analisar as medidas jurisdicionais tomadas por parte do governo com respeito a inclusão da pessoa com necessidades especiais e sim averiguar a eficácia destas, tanto social quanto jurídica, por meio da análise da capacidade e qualificação do corpo docente e ambiente físico das instituições educacionais. Para o desenvolvimento do mesmo foi firmado parceria com as Secretarias da Educação dos municípios de Assis e Bauru do estado de São Paulo. O estudo será desenvolvido considerando dois enfoques: 1) Levantamento da legislação referente a inclusão da pessoa com necessidades especiais no ensino regular. 2) Traçar um panorama sobre a eficácia da legislação vigente no sistema educacional público e privado. Para tanto, será realizado levantamento das escolas existentes, assim como o número de portadores de necessidades especiais regularmente matriculados. Posteriormente, será aplicado questionário dirigido aos diretores e coordenadores da escola contendo perguntas referentes a formação dos professores, espaço físico, a distribuição de portadores de deficiência em sala de aula, caso exista, assim como a opinião pessoal do administrador sobre a inclusão dos alunos. (AU)