Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da infusão contínua de lidocaína ou amiodarona sobre o ritmo cardíaco e parâmetros hemodinâmicos, em cães anestesiados com halotano e submetidos a doses crescentes de adrenalina

Processo: 05/56796-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2005
Vigência (Término): 30 de novembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Newton Nunes
Beneficiário:Juliana Vitti Moro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Cães   Adrenalina   Halotano   Lidocaína   Amiodarona   Arritmias cardíacas

Resumo

Com esse estudo pretende-se avaliar, comparativamente, o possível efeito da infusão contínua de lidocaína ou amiodarona na prevenção do aparecimento de distúrbios de condução e suas implicações nas variáveis hemodinâmicas, em cães anestesiados pelo halotano e induzidos a arritmias pela administração contínua de doses crescentes da adrenalina. Para tal, serão utilizados 30 cães adultos, distribuídos em três grupos experimentais, denominados GP, GL e GA. Os animais serão induzidos à anestesia pelo etomidato e mantidos com halotano, na concentração de 1,5 CAM. Posteriormente, os cães receberão lidocaína (GL), amiodarona (GA) ou NaCl a 0,9% (GP) por infusão continua e, em seguida, serão submetidos à administração de doses crescentes de adrenalina. Além do traçado eletrocardiográfico, serão avaliados freqüência cardíaca, débito cardíaco, índice cardíaco, pressão média da artéria pulmonar, pressão venosa central e pressões artérias sistólica, diastólica e média. Após a indução anestésica e estabilização dos animais serão aferidos os valores iniciais (M0), seguidos de novas mensurações imediatamente antes do início da infusão do antiarrítmico ou da solução de NaCl (M1), imediatamente antes do início da infusão de adrenalina (M2), após dez minutos da administração da primeira dose de adrenalina (M3) e a cada 10 minutos após o incremento da dose de adrenalina (M4, M5 e M6, respectivamente). Os dados obtidos serão avaliados pela análise de variância, seguida pelo teste de Tukey (p<0,05). (AU)