Busca avançada
Ano de início
Entree

Náusea e vômito no pós-operatório de pacientes submetidos a analgesia de parto

Processo: 01/04031-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2001
Vigência (Término): 31 de outubro de 2002
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Eliana Marisa Ganem
Beneficiário:Salma Rose Imanari Ribeiz Nery
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Vômito

Resumo

A dor durante o trabalho de parto apresenta uma série de efeitos indesejáveis para mãe e para o feto. A ansiedade e a dor durante a fase de dilatação pode determinar hiperventilação, aumento no consumo de oxigênio e aumento nos níveis de catecolaminas circulantes. O alívio da dor durante o trabalho de parto diminui estes efeitos adversos. Estudos realizados com anestesia peridural (AP) para analgesia de parto mostraram que houve melhora na perfusão placentária e redução na concentração de substâncias liberadas durante o estresse. A ropivacaína é anestésico local (AL) com menor toxicidade cardiovascular e neurológica. Pode ser utilizado durante a analgesia de parto com a vantagem de determinar menor bloqueio motor materno. A adição de opióide (Fentanil e Sufentanil) ao AL diminui o tempo de latência, prolonga a duração e melhora a qualidade da AP. Esta associação permite a utilização de baixas concentrações de AL que resulta em menor bloqueio motor e menor risco da toxicidade. Os opióides, entretanto, podem desencadear náusea (N) e vômito (V). O objetivo desta pesquisa é avaliar a incidência de N e V no pós-operatório de pacientes submetidas a AP com ropivacaína, associada ou não aos opióides (Fentanil e Sufentanil), para analgesia de parto. (AU)