Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da pressão parcial de CO2 no sangue arterial na responsividade pulmonar a metacolina: um estudo experimental em ratos e cobaias

Processo: 97/10150-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 1998
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Milton de Arruda Martins
Beneficiário:Fernanda Magalhães Arantes Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ventilação   Asma   Hiper-reatividade brônquica   Sistema respiratório   Modelos animais

Resumo

O nível de ventilação alveolar pode influir decisivamente na responsividade pulmonar a bronco-constritores, mas não existem estudos experimentais que tiveram como objetivo responder especificamente a esta pergunta. Diferentes níveis de ventilação alveolar, que podem ser quantificados através de diferentes níveis de pressão parcial de CO2 no sangue arterial, podem interferir na resposta a um agonista como a metacolina por alguns possíveis mecanismos: variação da umidificação das vias aéreas, variação de temperatura no epitélio respiratório, estímulo a receptores de irritação presentes na mucosa brônquica. Assim, este trabalho tem como objetivos, estudar o efeito da ventilação alveolar sobre a responsividade pulmonar a um agonista bronco-constritor e estudar se a umidificação do ar inspirado exerce influência sobre a responsividade pulmonar à metacolina, para cada nível de ventilação alveolar. Serão utilizados ratos Wistar e cobaias anestesiados com pentobarbital sódico i.p. e traqueostomizados e ventilados mecanicamente. Os animais serão então subdivididos em dois grupos: um ventilado com ar sintético seco e outro com ar sintético umidificado. A extremidade da cânula traqueal será conectada a um tubo em "T", ligado a um transdutor diferencial de pressão, para as medidas de pressão traqueal (Ptr). O fluxo aéreo será obtido através de um pneumotacógrafo conectado à cânula traqueal e a um tradutor diferencial de pressão. Os sinais de fluxo (V) e pressão traqueal (Ptr) serão registrados num polígrafo e, através de um conversor analógico-digital e armazenados em um microcomputador. A resistência do sistema respiratório (Rrs) e a elastância dinâmica do sistema respiratório (Ers) serão obtidas utilizando-se a equação do movimento do sistema respiratório. A veia jugular direita será dissecada e será introduzido um cateter de polietileno através do qual, serão administradas doses crescentes de metacolina em concentrações de 0,1 a 10000 ?g/ml. A artéria carótida direita será dissecada e um cateter de polietileno será introduzido, através dele serão colhidas alíquotas de sangue arterial para medidas de pH e pressões parciais de CO2 e de O2. Serão realizadas curvas dose-resposta à metacolina em animais com diferentes pressões parciais de CO2 no sangue arterial (PCO2). Inicialmente serão estudados 8 grupos de ratos (n = 8 para cada grupo), ou seja, animais mantidos com PCO2 de 20, 30, 40 e 50 mmHg, respectivamente, sendo que, para cada nível de ventilação alveolar, haverá um grupo ventilado com ar seco e outro com ar sintético com umidade relativa de 100%. O protocolo será repetido em 8 grupos de cobaias (n = 8 para cada grupo experimental). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)