Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um metodo imunodiagnostico diferencial para venenos de bothrops atrox e lachesis muta muta utilizando anticorpos monoclonais.

Processo: 97/13516-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 1998
Vigência (Término): 31 de maio de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Ana Maria Moura da Silva
Beneficiário:Mônica Colombini
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Testes imunológicos   Imunização passiva   Epidemiologia   Antígenos   Anticorpos monoclonais   Venenos

Resumo

Um método imunodiagnóstico diferencial entre Bothrops atrox e Lachesis muta muta é extremamente importante para um preciso levantamento epidemiológico dos acidentes ofídicos no Norte do Brasil. Esse teste imunodiagnóstico também é importante para auxiliar no diagnóstico clínico e consequentemente na escolha do soro a ser administrado aos pacientes. As tentativas anteriores de padronização de imunodiagnóstico diferencial para esses gêneros utilizaram anticorpos policlonais isolados por imunoafinidade. Entretanto, esses métodos são pouco reprodutíveis devido à variabilidade da resposta imune dos animais imunizados. Nosso objetivo principal neste trabalho é desenvolvermos um imunodiagnóstico diferencial para Bothrops atrox e Lachesis muta muta utilizando anticorpos monoclonais. Estes reagentes são mais estáveis e reprodutíveis e podem melhor discriminar os dois tipos de venenos em comparação com os anticorpos policlonais. Analisaremos a reatividade antigênica cruzada entre esses venenos, identificando antígenos comuns e privados, estes últimos os alvos dos anticorpos monoclonais espécie-específicos. Os anticorpos monoclonais serão produzidos pelos métodos usuais e a triagem dos mesmos será feita através da sua reatividade em ELISA contra apenas um dos venenos. Esses anticorpos serão empregados na padronização do método imunodiagnóstico. Uma vez desenvolvido este método, o teste será aplicado na caracterização da espécie envolvida no acidente e na dosagem dos níveis de veneno em pacientes do Pará que estão participando de um estudo clínico sobre o tratamento dos acidentes ofídicos da Região Norte. Este estudo está sendo desenvolvido como uma colaboração entre o Laboratório de Imunopatologia e o Hospital Vital Brazil, Instituto Butantan, Centro de Toxinologia do Pará e Escola de Medicina Tropical de Liverpool. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)