Busca avançada
Ano de início
Entree


A imaginação reconstrutiva: Paul Ricoeur e Jürgen Habermas; sobre o discurso narrativo na modernidade

Texto completo
Autor(es):
Ernesto Mora Forero
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Leopoldo Garcia Pinto Waizbort; Hélio Salles Gentil; Alexandre Braga Massella; Alessandro Pinzani; Luiz Sergio Repa
Orientador: Leopoldo Garcia Pinto Waizbort
Resumo

A presente pesquisa é um estudo comparativo entre a obra de Paul Ricoeur e a de Jürgen Habermas, em sua aproximação geral com as teorias da ação e do discurso, e, em particular, com o lugar e função que o discurso narrativo cumpre nelas. Assim, a investigação toma conceitos e teses fundamentais de dois dos paradigmas centrais que Ricoeur e Habermas elaboraram, a saber, a teoria da narrativa e a teoria da comunicação, para levantar algumas hipóteses sobre o lugar, a função comunicativa e os alcances sociais do discurso narrativo na modernidade. A hipótese central que guia todo o trabalho é a seguinte: existe uma relação constitutiva entre o discurso narrativo e a imaginação social, a qual cumpre um papel fundamental no processo de racionalização comunicativa das sociedades modernas. Esse papel fundamental se encarna em uma competência humana de tipo discursivo e de caráter universal que é capaz de reconstruir imaginativamente o modo como o nosso mundo da vida vai se diferenciando em suas razões, suas esferas simbólicas e nas tentativas bem-sucedidas ou calamitosas com que administra, nas situações de interação, sua própria pluralidade (AU)

Processo FAPESP: 10/12137-2 - Mimese e interação: aproximações ao relato e à teoria da ação
Beneficiário:Ernesto Mora Forero
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado