Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação das lesões encefálicas e fenotipagem de linfócitos T e células dentríticas em linfócitos de cães com leishmaniose visceral

Texto completo
Autor(es):
José Eduardo dos Santos Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araçatuba. 2015-10-06.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Medicina Veterinária. Araçatuba
Data de defesa:
Orientador: Gisele Fabrino Machado
Resumo

A leishmaniose visceral é uma doença imunomediada que pode causar alterações na população de linfócitos T em diferentes órgãos e tecidos, e também aumento de células inflamatórias no encéfalo de cães infectados. O objetivo deste estudo foi avaliar e caracterizar as lesões encefálicas por meio de análise de cortes histológicos do encéfalo e as subpopulações de linfócitos T CD4+, CD8+, duplo-positivos (DP), duplo-negativos (DN), TCRs αβ e δγ e células dendríticas (cd11c+/MHC-II+) provenientes de linfonodos regionais da cabeça e do linfonodo poplíteo de cães com leishmaniose visceral utilizando citometria de fluxo. Os resultados mostram que encéfalos de cães com LV podem apresentar infiltrados inflamatórios em região de leptomeninges, plexo coroide e região subependimária. Entre os linfonodos, não houve diferença entre as subpopulações de linfócitos T, porém, observamos redução dos linfócitos T CD8+ e aumento dos T DN e TCR δγ enquanto que os CD4+ e DP e TCR αβ mantiveram-se próximos a valores de cães saudáveis, sugerindo assim que os linfócitos DN e TCR δγ podem estar relacionados com a resposta imunológica de cães sintomáticos com LV. Todos esses achados descartam a hipótese de que os linfonodos regionais da cabeça poderiam apresentar um padrão de resposta imune específica relacionada com as lesões encefálicas dos cães (AU)