Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação in vitro do P-cresol sobre o metabolismo oxidativo e apoptose dos neutrófilos de cães

Texto completo
Autor(es):
Anelise Maria Bosco
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina Veterinária.
Data de defesa:
Membros da banca:
Wagner Luis Ferreira; Alvaro José dos Santos Neto
Orientador: Paulo Cesar Ciarlini
Resumo

Em humanos, a imunossupressão que ocorre em pacientes urêmicos está associada com a disfunção dos neutrófilos causada pelas toxinas urêmicas. O p-cresol se acumula no sangue de pacientes com insuficiência renal crônica (IRC) promovendo a inibição do metabolismo oxidativo dos neutrófilos. O presente trabalho teve como objetivo mensurar as concentrações plasmáticas de p-cresol em cães hígidos e com IRC e testar a hipótese de que o p-cresol livre causa disfunção neutrofílica. Para tal, foi quantificada a concentração plasmática de p-cresol por cromatografia de fase líquida (HPLC) em cães hígidos e com IRC no estágio IV. Também foi avaliado in vitro o efeito específico do p-cresol sobre o metabolismo oxidativo e a taxa de apoptose de neutrófilos de cães hígidos, considerando-se a maior concentração plasmática desta toxina observada in vivo em cães com IRC. Neutrófilos isolados de 20 cães saudáveis foram incubadas em meio de RPMI puro ou enriquecido com p-cresol e com plasma de cães com IRC. O metabolismo oxidativo dos neutrófilos foi avaliado por citometria de fluxo capilar utilizando as sondas hidroetidina e 2′,7′- diacetato de diclorofluoresceína com ou sem estímulos de acetato miristato de forbol e n-formil-metionil-leucilfenilalanina. A apoptose e a viabilidade dos neutrófilos foi quantificada em citômetro de fluxo capilar utilizando sistema Anexina V-PE, com ou sem estímulo de camptotecina. Cães com IRC apresentaram in vivo o quadro de estresse oxidativo e aumento do p-cresol plasmático. A maior concentração do p-cresol causou disfunção neutrofílica in vitro. Conclui-se que p-cresol pode estar envolvido com quadro de estresse oxidativo in vivo e que sua alta concentração diminua a viabilidade e leve a uma redução da produção de espécies reativas de oxigênio (AU)

Processo FAPESP: 11/16018-0 - Avaliação in vitro do p-cresol sobre o metabolismo oxidativo e apoptose dos neutrófilos de cães
Beneficiário:Anelise Maria Bosco
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado