Busca avançada
Ano de início
Entree


Caracterização fenotípica da população de células T reguladoras em sangue de cordão umbilical de recém-nascidos a termo e pré-termo

Texto completo
Autor(es):
Camila Rennó Guimarães
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina
Data de defesa:
Membros da banca:
Patricia Palmeira; Maria Esther Jurfest Rivero Ceccon
Orientador: Patricia Palmeira
Resumo

A predisposição de recém-nascidos às doenças infecciosas é atribuída, em parte, a falta da memória imunológica pré-existente. Em recém-nascidos pré-termo, é presumido que o sistema imune seja menos desenvolvido ao nascimento, mas pouco se sabe sobre o tamanho e as características das subpopulações de linfócitos. Células T reguladoras (Treg) possuem papel crucial no controle do desenvolvimento de um sistema imune saudável incluindo a manutenção da autotolerância e, sua ausência, é responsável pela gama de manifestações inflamatórias e autoimunes observadas em pacientes com IPEX (Immunodeficiency, Poliendocrinopathy and Enteropathy X-linked Syndrome). Essas células são fenotipicamente caracterizadas pela presença do fator de transcrição Foxp3 (forkhead box P3) e pela alta expressão da cadeia ? do receptor de IL-2 (CD25), já que esta citocina é essencial para a geração, manutenção e funcionamento das células Treg. Pouco se sabe sobre a frequência destas células em recém-nascidos, particularmente em recém-nascidos muito prematuros ou moderados e recém-nascidos prematuros tardios, estudados como grupos separados. Resultados preliminares do nosso grupo revelaram uma maior capacidade dos recém-nascidos de produzir resposta pró-inflamatória em comparação aos adultos, a qual foi ainda mais acentuada pela diminuição da produção de IL-10, o que sugere uma função reguladora reduzida. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi caracterizar fenotipicamente e quantificar a população de células Treg, por meio de citometria de fluxo, em sangue de cordão umbilical de 15 recém-nascidos pré-termo nascidos entre 30-336/7 semanas de gestação (Grupo 1), 19 recém-nascidos pré-termo nascidos entre 34-366/7 semanas de gestação (Grupo 2) e 20 recém-nascidos a termo nascidos entre 37-41 semanas de gestação (Grupo 3), todos clinicamente saudáveis e com peso adequado para a idade gestacional, em comparação com 26 adultos saudáveis. Os resultados demonstraram que existe uma correlação inversa entre a frequência de Treg e a idade gestacional, com frequências significativamente maiores de células Treg CD4+CD25hiCD127loFoxp3+ no Grupo 1 quando comparado aos Grupos 2 e 3 e no Grupo 2 comparado ao Grupo 3, assim como frequências e números de Treg mais elevados em todos os recém-nascidos comparados aos adultos. Todos os recém-nascidos exibiram maior frequência de células Treg com fenótipo naïve comparados aos adultos. A expressão de CTLA-4 nas células Treg naïve foi reduzida nos dois grupos de pré-termo comparados aos grupos de recém-nascidos a termo e adultos, assim como nas células Treg de memória do Grupo 1 comparado aos demais grupos. As frequências de Tregs alfa4beta7+ e alfa4beta1+ foram maiores em ambos os grupos de pré-termo, mas significativamente diferentes somente no Grupo 1, quando comparado aos recém-nascidos a termo e adultos. Em conclusão, foram observadas altas frequências de células Treg em recém-nascidos pré-termo e a termo, e essas frequências mostraram correlação inversa com a idade gestacional. Essas células exibiram um perfil naïve quando comparadas às dos adultos, com alta expressão de CD45RA e alfa4beta7+ e menor expressão de CTLA-4, sugerindo uma menor função, particularmente em recém-nascidos muito prematuros (AU)

Processo FAPESP: 12/10928-8 - Caracterização fenotípica da população de células T reguladoras em sangue de cordão umbilical de recém-nascidos a termo e pré-termo.
Beneficiário:Camila Rennó Guimarães
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado