Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da colonização inicial no desenvolvimento e estruturação de comunidades marinhas incrustantes do sublitoral raso

Texto completo
Autor(es):
Edson Aparecido Vieira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia
Data de defesa:
Resumo

Comunidades sésseis geralmente apresentam uma sucessão gradual, contínua e determinística, havendo, entretanto, grande influência da colonização inicial nos passos seguintes da sucessão. Em sistemas abertos, potencialmente qualquer organismo pode colonizar e dar início à comunidade, havendo então uma loteria guiada por estocasticidade. Se a colonização logo que o substrato se torna disponível proporciona ao organismo alguma janela de vantagem perante espécies que colonizarem o substrato posteriormente, pode haver uma maximização dos efeitos dessa espécie na comunidade, ou seja, efeitos de prioridade. Esses efeitos podem ser facilitadores ou inibidores e vão afetar a estrutura da comunidade e consequentemente vários processos ecossistêmicos. Atualmente a ação antrópica vem provocando perdas de diversidade biológica em vários sistemas, principalmente costeiros. Isso pode alterar o cenário de início da colonização e ter impacto na estabilidade, resistência e resiliência da comunidade, inclusive no que diz respeito à introdução de espécies exóticas. Através de uma abordagem experimental com a manipulação de características do cenário inicial da colonização, testei os efeitos da identidade, diversidade taxonômica e diversidade funcional dos fundadores na diversidade e estruturação de comunidades incrustantes do sublitoral subtropical. No geral, as três manipulações mostraram que a identidade do fundador é o aspecto mais importante da colonização, afetando tanto a riqueza quanto a estrutura da comunidade ao longo da sucessão. Quando o fundador, ou o conjunto de fundadores, foi um grupo que persiste na comunidade, monopolizando espaço e sendo resistente à predação, a comunidade apresentou uma baixa riqueza e diversidade. Variações na diversidade dos fundadores não afetaram a ocorrência de espécies exóticas e tiveram pouco efeito na estrutura da comunidade, sendo observado apenas quando se variou a diversidade taxonômica mas não a funcional. Predadores foram importantes tanto para a estruturação da comunidade, diminuindo o número de espécies nativas e exóticas, em especial a abundância de ascídias, independentemente da diversidade dos fundadores. Entretanto, o efeito para a riqueza de espécies e ocorrência de exóticas foi modulado pela identidade do colonizador, sendo observado apenas para comunidades que foram iniciadas por briozoários. Concluo que a identidade do fundador é importante, afetando a diversidade da comunidade e sua estrutura, além de modular o efeito de outros processos como a predação (AU)

Processo FAPESP: 12/18432-1 - Efeito da colonização inicial no desenvolvimento e estruturação de comunidades marinhas incrustantes de sublitoral
Beneficiário:Edson Aparecido Vieira Filho
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado