Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo químico e das atividades citotóxica, antioxidante e antifúngica de Prunus myrtifolia L. (Urban.) (Rosaceae)

Texto completo
Autor(es):
Santos, Luciana de Ávila
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Araraquara. [2005]. 295 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Instituto de Química
Data de defesa:
Membros da banca:
Silva, Dulce Helena Siqueira; Oliveira, Dionéia Camilo Rodrigues de; Romoff, Paulete; Bolzani, Vanderlan da Silva; Vilegas, Wagner
Orientador: Silva, Dulce Helena Siqueira
Área do conhecimento: Ciências Exatas e da Terra - Química
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos Athena; C@thedra - Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UNESP
Localização: Universidade Estadual Paulista. Campus de Araraquara. Biblioteca do Instituto de Química; T-968
Resumo

O presente trabalho descreve o estudo químico das folhas e galhos de Prunus myrtifolia (L.) Urban (Rosaceae), exemplar coletado na Fazenda Campininha em São Paulo, SP. A química do gênero Prunus é determinada pela ocorrência de glicosídeos cianogênicos , terpenóides, flavonóides e outras substâncias fenólicas. Os extratos obtidos a partir de folhas e galhos de P. myrtifolia foram fracionados através de técnicas cromatográficas diversas que forneceram 31 substâncias, sendo 3 consideradas inéditas. Suas estruturas foram determinadas através de dados espectrométricos (RMN, EM, UV, entre outros), bem como através da utilização de técnicas hifenadas tais como CLAE-UV e CLAE-EM. O fracionamento cromatográfico guiado por testes químicos demonstrou o potencial de atividade antioxidante de flavonóides e arilpropanóides isolados de folhas e galhos de P. myrtifolia. A mistura de esteróides estigmasterol e sitosterol apresentou atividade antifúngica moderada frente a fungos fitopatógenos do gênero Cladosporium enquanto que os glicosídeos cianogênicos prunasina e durrina, além do ácido prunasínico apresentaram atividade antifúngica contra Cândida krusei e C. Albicans. A atividade citotóxica para Sacharomyces cerevisea apresentada pelos extratos brutos não foi mais observada após os procedimentos de fracionamento cromatográfico. Entretanto, a mistura de triterpenos pentacíclicos triidroxilados obtida a partir do extrato etanólico de galhos, apresentou atividade antitumoral para células de câncer de cólon, de mama e do sistema nervoso central humano. Os resultados obtidos com esse estudo químico corroboram dados da literatura sobre Prunus e Rosaceae e poderão contribuir com estudos de quimiossistemática. (AU)

Processo FAPESP: 01/01648-7 - Estudo químico e das atividades anticancerígena, antifúngica e antioxidante de Prunus myrtifolia (L.) Urban. (Rosaceae)
Beneficiário:Luciana de Ávila Santos
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado