Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação de aspectos da dinâmica de florestas restauradas, com diferentes idades.

Texto completo
Autor(es):
Maria Claudia Mendes Sorreano
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Data de defesa:
Membros da banca:
Ricardo Ribeiro Rodrigues; Luiz Mauro Barbosa; Hilton Thadeu Zarate do Couto
Orientador: Ricardo Ribeiro Rodrigues
Resumo

O projeto "Avaliação de Aspectos da Dinâmica de Florestas Restauradas, com Diferentes Idades", teve como objetivo geral identificar indicadores que possam ser utilizados na avaliação e monitoramento de áreas restauradas, através do restabelecimento da resiliência nessas áreas. Este trabalho foi desenvolvido em três áreas restauradas: Usina Açucareira Ester, no município de Cosmópolis-SP, sendo 9 ha submetidos ao plantio de espécies nativas e exóticas entre 1955 e 1960 (@ 46 anos); Área Experimental da Plantec, no município de Iracemápolis-SP, com 1ha de área plantada com espécies nativas e exóticas, em 1992 (@ 9 anos); área da Dedini S/A Agroindústria, no município de Santa Cruz das Palmeiras-SP, com 1ha submetido ao plantio de espécies nativas entre 1995 e 1997 (@ 6 anos). Estas áreas se diferenciam entre si pelo tempo de implantação, pelo número de espécies plantadas e pela metodologia de restauração utilizada. Em cada área foram alocadas 10 parcelas amostrais de 10x20m, com 6 sub-parcelas de 0.5x0.5m, com três repetições para cada tratamento analisado. Para avaliar a chuva de sementes, instalou-se 3 coletores de 0.5x 0.5m por parcela amostral (30 coletores por área), com coletas mensais. Para avaliação do banco de sementes, realizaram-se 2 coletas de solo e de folhedo (abr/01 e jun/01), por unidade O projeto “Avaliação de Aspectos da Dinâmica de Florestas Restauradas, com Diferentes Idades”, teve como objetivo geral identificar indicadores que possam ser utilizados na avaliação e monitoramento de áreas restauradas, através do restabelecimento da resiliência nessas áreas. Este trabalho foi desenvolvido em três áreas restauradas: Usina Açucareira Ester, no município de Cosmópolis-SP, sendo 9 ha submetidos ao plantio de espécies nativas e exóticas entre 1955 e 1960 (@ 46 anos); Área Experimental da Plantec, no município de Iracemápolis-SP, com 1ha de área plantada com espécies nativas e exóticas, em 1992 (@ 9 anos); área da Dedini S/A Agroindústria, no município de Santa Cruz das Palmeiras-SP, com 1ha submetido ao plantio de espécies nativas entre 1995 e 1997 (@ 6 anos). Estas áreas se diferenciam entre si pelo tempo de implantação, pelo número de espécies plantadas e pela metodologia de restauração utilizada. Em cada área foram alocadas 10 parcelas amostrais de 10x20m, com 6 sub-parcelas de 0.5x0.5m, com três repetições para cada tratamento analisado. Para avaliar a chuva de sementes, instalou-se 3 coletores de 0.5x 0.5m por parcela amostral (30 coletores por área), com coletas mensais. Para avaliação do banco de sementes, realizaram-se 2 coletas de solo e de folhedo (abr/01 e jun/01), por unidadeO projeto "Avaliação de Aspectos da Dinâmica de Florestas Restauradas, com Diferentes Idades", teve como objetivo geral identificar indicadores que possam ser utilizados na avaliação e monitoramento de áreas restauradas, através do restabelecimento da resiliência nessas áreas. Este trabalho foi desenvolvido em três áreas restauradas: Usina Açucareira Ester, no município de Cosmópolis-SP, sendo 9 ha submetidos ao plantio de espécies nativas e exóticas entre 1955 e 1960 (@ 46 anos); Área Experimental da Plantec, no município de Iracemápolis-SP, com 1ha de área plantada com espécies nativas e exóticas, em 1992 (@ 9 anos); área da Dedini S/A Agroindústria, no município de Santa Cruz das Palmeiras-SP, com 1ha submetido ao plantio de espécies nativas entre 1995 e 1997 (@ 6 anos). Estas áreas se diferenciam entre si pelo tempo de implantação, pelo número de espécies plantadas e pela metodologia de restauração utilizada. Em cada área foram alocadas 10 parcelas amostrais de 10x20m, com 6 sub-parcelas de 0.5x0.5m, com três repetições para cada tratamento analisado. Para avaliar a chuva de sementes, instalou-se 3 coletores de 0.5x 0.5m por parcela amostral (30 coletores por área), com coletas mensais. Para avaliação do banco de sementes, realizaram-se 2 coletas de solo e de folhedo (abr/01 e jun/01), por unidadeO projeto “Avaliação de Aspectos da Dinâmica de Florestas Restauradas, com Diferentes Idades”, teve como objetivo geral identificar indicadores que possam ser utilizados na avaliação e monitoramento de áreas restauradas, através do restabelecimento da resiliência nessas áreas. Este trabalho foi desenvolvido em três áreas restauradas: Usina Açucareira Ester, no município de Cosmópolis-SP, sendo 9 ha submetidos ao plantio de espécies nativas e exóticas entre 1955 e 1960 (@ 46 anos); Área Experimental da Plantec, no município de Iracemápolis-SP, com 1ha de área plantada com espécies nativas e exóticas, em 1992 (@ 9 anos); área da Dedini S/A Agroindústria, no município de Santa Cruz das Palmeiras-SP, com 1ha submetido ao plantio de espécies nativas entre 1995 e 1997 (@ 6 anos). Estas áreas se diferenciam entre si pelo tempo de implantação, pelo número de espécies plantadas e pela metodologia de restauração utilizada. Em cada área foram alocadas 10 parcelas amostrais de 10x20m, com 6 sub-parcelas de 0.5x0.5m, com três repetições para cada tratamento analisado. Para avaliar a chuva de sementes, instalou-se 3 coletores de 0.5x 0.5m por parcela amostral (30 coletores por área), com coletas mensais. Para avaliação do banco de sementes, realizaram-se 2 coletas de solo e de folhedo (abr/01 e jun/01), por unidade amostral (0.25x0.25m), na profundidade de 0.05m. Para avaliação dos indivíduos jovens regenerantes, foram amostrados todos os indivíduos entre 0.30-1.30m de altura, em 2 sub-parcelas (1x1m) por parcela amostral (mai/01 e nov/01). Foram realizados cálculos de freqüência e de densidade absoluta através do teste do logaritmo da verossimilhança (teste G). As análises de variância (teste F) foram realizadas para verificar o crescimento em altura dos indivíduos amostrados nas diferentes avaliações. Quando diferenças significativas foram encontradas, aplicou-se o teste de Tukey a 5% de probabilidade para determinar entre quais grupos as médias diferiam significativamente. O fluxo de propágulo mensurado nas áreas em estudo, durante o período de oito meses, apresentou diferença altamente significativa (P = 0,001), ou seja a chuva de sementes apresentou-se de forma heterogênea, sendo que as espécies arbóreas predominaram sobre as herbáceas, lianas e arbustivas. A investigação do banco de sementes nas três áreas revelou variações altamente significativas (P = 0,001) na densidade de sementes nas duas avaliações (jan/01 e jun/01). Constatou-se que o número de espécies herbáceas que germinaram no banco de sementes nas três áreas tendeu a diminuir e as arbóreas a aumentar com a idade da restauração. Os indivíduos jovens amostrados nas áreas em estudo são compostos predominantemente por espécies arbóreas. A proporção de indivíduos jovens presentes nas avaliações apresentou diferença significativa (P = 0,32), entre as avaliações, isto é, houve um recrutamento de novos indivíduos na segunda avaliação. Os resultados obtidos neste estudo nos leva a concluir que recuperar uma área degradada não depende apenas do plantio de espécies nativas mas depende: i) do histórico do uso da terra a ser restaurada, ii) do grau de isolamento e iii) do monitoramento e da avaliação dos projetos de restauração, permitindo dessa forma, definir intervenções de manejo que garantam o sucesso do empreendimento em termos de perpetuação das áreas restauradas. (AU)

Processo FAPESP: 00/04174-3 - Avaliação de alguns aspectos da dinâmica de floresta restauradas com diferentes idades
Beneficiário:Maria Claudia Mendes Sorreano
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado