Busca avançada
Ano de início
Entree


Determinação de alguns parâmetros da teoria de perturbação quiral

Texto completo
Autor(es):
Gabriel Rocha de Santana Zarnauskas
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Física
Data de defesa:
Membros da banca:
Manoel Roberto Robilotta; Airton Deppman; Bruto Max Pimentel Escobar; Marcelo Otavio Caminha Gomes; Tereza Cristina da Rocha Mendes
Orientador: Manoel Roberto Robilotta
Resumo

A teoria de perturba ca o quiral (ChPT) e aceita, atualmente, como a teoria efetiva da cromodinamica quantica (QCD) para baixas energias. Ela foi colocada na sua versa o moderna com os artigos de Gasser e Leutwyler, na primeira metade da d ecada de 80 e, durante os 25 anos que se seguiram, ocorreu um aumento considera vel da variedade de fenomenos por ela descritos, sempre acompanhando a precisa o cres- cente dos resultados experimentais. Os trabalhos que apresentamos nesta tese de doutorado se inserem neste contexto e envolvem duas partes, ambas relacionadas a` determina c ao de alguns dos parametros que compo em a lagrangiana da ChPT. Por ser uma teoria efetiva, tais constantes s o podem ser fixadas por experimentos, modelos ou por c alculos da QCD na rede. Em um dos trabalhos, discutimos a cons- tante de decaimento do p on, F, e os efeitos decorrentes do acr escimo de intera co es eletromagn eticas a` ChPT. N os argumentamos que as incertezas estimadas para o valor mais aceito de F podem estar subestimadas. Mostramos, tamb em, que na o se pode determinar esta constante na presen ca das intera co es eletromagn eticas, pois a grandeza de onde ela e extra da adquire uma dependencia no calibre utilizado no ca lculo e tem suas propriedades alteradas drasticamente. No outro trabalho, abor- damos os fatores de forma escalares dos m esons pseudoescalares em tres sabores. A partir dos resultados obtidos com a ChPT e do uso de um modelo que trata dos fatores de forma no espa co das posi co es, conseguimos escreve-los em termos ape- nas das constantes presentes na lagrangiana em ordem dominante da ChPT, F e as massas dos m esons pseudoescalares. No s determinamos, tamb em, os respectivos raios quadra ticos m edios e, comparando-os com os calculados com a ChPT, obtive- mos as LECs L4(mu) = -0,26 · 10^-3 e L5(mu) = 0,85 · 10^-3, para mu = 770 MeV. Esses valores sa o compat veis com as principais estimativas vindas da ChPT. (AU)

Processo FAPESP: 05/59114-9 - O papel da delta na interação nucleon-nucleon
Beneficiário:Gabriel Rocha de Santana Zarnauskas
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado