Busca avançada
Ano de início
Entree


Um estudo eletrofisiológico e ultraestrutural do transporte iônico transepitelial em camarões e caranguejos (Crustacea, Decapoda)

Texto completo
Autor(es):
Antonio Hernandes Torres Júnior
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
John Campbell McNamara; Adalto Bianchini; Carolina Arruda de Oliveira Freire; Klaus Hartmann Hartfelder; Rosa dos Prazeres Melo Furriel Inocentes
Orientador: John Campbell McNamara; Horst Wilhelm Heinrich Onken
Resumo

Os crustáceos de água doce, confrontados com um gradiente elevado de NaCl entre a hemolinfa e o meio externo tendem a perder sal e ganhar água através das superfícies corporais. Os seus órgãos osmorreguladores, tais como as brânquias e a glândulas antenais, são responsáveis por manterem a homeostase de sal e água contra esse elevado gradiente. Para isso capturam e reabsorvem NaCl compensando as perdas difusivas de sal. Essa habilidade foi fundamental para a invasão da água doce pelos camarões palemonídeos. O objetivo deste trabalho foi investigar a biologia comparada do transporte iônico transepitelial nas brânquias camarões e caranguejos. No camarão diádromo de água doce Macrobrachium rosenbergii, as brânquias posteriores foram perfundidas com diversas salinas para experimentação eletrofisiológica. As manipulações com substituição de íons e adição de alguns inibidores do transporte iônico nas salinas perfundidas, simétricas no lado externo e interno do epitélio, demonstraram que o epitélio produz uma voltagem que pode englobar a absorção ativa (sensível ao inibidor metabólico NaCN) de Na+, que ocorre provavelmente por intermédio de um canal de Na+ ou um trocador Na+/H+ apicais sensíveis à amiloride, e é dependente da atividade de uma Na+/K+-ATPase. Uma pequena voltagem decorrente da captura de Cl- foi também medida, e se mostrou sensível à acetazolamida, um inibidor da anidrase carbônica. Esta voltagem também era sensível ao inibidor de uma V(H+)-ATPase, concanamicina, mostrando que esta bomba de prótons também desempenha um papel no transporte iônico transepitelial. Os resultados corroboram um modelo semelhante de captura de Na+ dependente de canais apicais de sódio em série com uma Na+/K+-ATPase proposto anteriormente por este laboratório. O gradiente eletroquímico produzido pela atividade desta ATPase permite a captura de Na+ na água doce. O acoplamento elétrico entre as células pilares e as células do septo branquial permite a passagem do Na+ ao longo da rota de captura até a hemolinfa. Análises das brânquias posteriores e anteriores do caranguejo de água doce Dilocarcinus pagei também foram feitas no intuito de se revelar a ultraestrutura do epitélio branquial e marcar a atividade p-NPPásica de uma Na+/K+-ATPase. Os experimentos envolvendo ultraestrutura das brânquias do caranguejo de água doce Dilocarcinus pagei mostraram, ao nível ultraestutural, uma diferenciação entre os dois lados da lamela branquial nas brânquias posteriores, aonde um lado distal apresenta características de um epitélio ionotransportador, menos desenvolvido do que no lado proximal, apesar dos dois lados mostrarem uma marcação ultracitoquímica para a Na+/K+-ATPase, indicando a ubiqüidade desta enzima. Os resultados indicam que existem dois processos fundamentais de transporte, um de Cl- e outro de Na+, demonstrados de modo eletrofisiológico e estrutural e que tal separação de processos possibilitou aos dois crustáceos estudados a invasão do ambiente dulcícola. (AU)

Processo FAPESP: 01/08730-0 - O transporte ionico transepitelial em camaroes e caranguejos (crustacea, decapoda).
Beneficiário:Antonio Hernandes Torres Junior
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado