Busca avançada
Ano de início
Entree


As paixões do homo oeconomicus: racionalidade e afeto na ação econômica cotidiana

Texto completo
Autor(es):
Arthur Oliveira Bueno
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Sergio Miceli Pessoa de Barros; Maria Filomena Gregori; Nadya Araujo Guimaraes
Orientador: Sergio Miceli Pessoa de Barros
Resumo

Os Devedores Anônimos são um grupo de ajuda-mútua reunindo indivíduos que se consideram compradores e/ou endividados compulsivos. A partir de pesquisa de campo realizada nos encontros do grupo e de entrevistas aprofundadas com seus membros, são analisadas tanto as condutas econômicas desses agentes antes da entrada no DA, quanto os efeitos que a permanência no grupo tende a engendrar em seu comportamento. Identificando os mecanismos presentes em certas experiências problemáticas no interior da ordem econômica especialmente no que se refere a compras e tomadas de empréstimos vistas pelos próprios implicados como injustificadas, impensadas ou irracionais , este trabalho mostra também como, funcionando à maneira de um dispositivo de racionalização, o grupo incide sobre as condutas econômicas de seus usuários de modo a torná-las mais ajustadas a certas exigências da ordem econômica atual. Isso por meio de mecanismos particulares, que atuam seja incitando a reflexividade e dirigindo a atenção desses agentes para aspectos antes despercebidos das ações econômicas cotidianas (produzindo, assim, um investimento renovado em tais operações), seja suscitando implicitamente dinâmicas afetivas que tendem a conduzi-los na direção de uma maior racionalidade econômica. Demonstra-se, desse modo, não só como certas experiências emocionais contribuem para a realização de ações econômicas que, depois, podem ser motivo de arrependimento, mas também como esse tipo de racionalidade e seu ideal, o modelo do homo oeconomicus não se opõe às emoções, às paixões, mas depende, para sua própria efetivação, de dinâmicas afetivas peculiares. (AU)

Processo FAPESP: 05/57961-6 - Vida a credito: consumo, endividamento e experiencia emocional.
Beneficiário:Arthur Oliveira Bueno
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado