Busca avançada
Ano de início
Entree


O filosófo e a morte: um estudo sobre a Phroneis no Fédon de Platão

Texto completo
Autor(es):
Sheila Paulino e Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Roberto Bolzani Filho; Maurício Pagotto Marsola; Adriano Machado Ribeiro
Orientador: Roberto Bolzani Filho
Resumo

Em nossa leitura do diálogo Fédon, partiremos da análise dos motivos que Sócrates apresenta para não temer a morte, os quais se baseiam no discurso acerca da natureza da alma, para analisar os indícios que a racionalidade, mais precisamente a phronesis, oferece acerca dos limites entre o domínio supra-sensível e o domínio da vida humana. Tal reflexo, ao mesmo tempo em que denuncia sua natureza e orienta o homem verso ao exercício de filosofar, dá indicações acerca das limitações do intelecto para dizer sobre esse domínio, distinto do domínio da sensibilidade. Verificaremos a colaboração da phronesis na elaboração do discurso sobre a imortalidade, o qual justifica o destemor da morte, e os vários sentidos em que podemos compreendê-la no diálogo. (AU)

Processo FAPESP: 06/53077-7 - O conhecimento e a boa aceitacao diante da iminencia da morte.
Beneficiário:Sheila Paulino e Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado