Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudos das proteínas hnRNP K, SET e MARK3 como potenciais marcadores de prognóstico em câncer epidermóide de cabeça e pescoço (HNSCC)

Texto completo
Autor(es):
Flávia Amoroso Matos e Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Andréia Machado Leopoldino; Lewis Joel Greene; Rui Celso Martins Mamede
Orientador: Andréia Machado Leopoldino
Resumo

As neoplasias de cabeça e pescoço constituem um importante problema de saúde pública devido à alta incidência e alguns tipos estão associados a fatores comportamentais como consumo de álcool e tabaco. Apesar desses dados, a doença, especialmente em sua fase inicial, pode ser curada e alguns tipos podem ser prevenidos. Portanto, existe a necessidade de identificar e validar novos biomarcadores em câncer de cabeça e pescoço com aplicação em prognóstico e seleção de terapias mais adequadas. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi validar o perfil de três proteínas, SET, hnRNP K e MARK3 em tumores de cabeça e pescoço, e verificar a potencial aplicação como marcadores de diagnóstico e prognóstico em HNSCC, bem como propor um papel para estas proteínas na tumorigênese. Foram analisadas 22 amostras de tumores de cabeça e pescoço por western blotting (WB) e 96 amostras (91 tumores, 4 biópsias e 1 controle) dispostas em duplicata em lâmina de tissue microarray, obtidas no Brasil e cedidas pelo Grupo GENCAPO, por imunohistoquímica (IHC). Os dados obtidos foram correlacionados com todos os parâmetros clínicos e patológicos e com prognóstico do paciente com HNSCC por um período de 48 meses. Os resultados obtidos por WB e IHC mostraram acúmulo e fragmentação da SET e acúmulo nuclear e citoplasmático da hnRNP K nos tumores comparado a respectiva margem cirúrgica e tecido normal. A hnRNPK mostrou valor prognóstico sendo associada a sobrevida global do paciente. A proteína c-Myc e a sua forma fosforilada foram analisadas nas amostras de tumores e suas respectivas margens cirúrgicas devido a sua relação com SET, PP2A e hnRNP K. Os resultados mostraram acúmulo da c-Myc fosforilada e total nas amostras tumorais, o que coincidiu com aumento de SET e hnRNP K. Com relação à proteína MARK3, observou-se sua redução no tumor e menor sobrevida livre de doença. Foi realizado ensaio de RNA de interferência (RNAi) contra hnRNP K e SET em linhagem de carcinoma oral (HN13). A redução da proteína SET por RNAi levou a redução significativa da hnRNP K, enquanto a hnRNP K gerou menor efeito na proteína SET, sugerindo um efeito regulatório na expressão ou manutenção da hnRNP K pela SET na célula tumoral. A interferência contra a hnRNP K também reduziu a proliferação celular tumoral. Em conclusão, o aumento da proteína SET está associado à desmoplasia em HNSCC e pode ser um potencial marcador específico para essa condição. hnRNP K e MARK3 podem servir como potenciais marcadores em HNSCC e ajudar a identificar um subgrupo de pacientes com pobre prognóstico. A hnRNPK exerce efeito positivo na proliferação da célula tumoral. SET e hnRNP K podem atuar como fatores oncogênicos favorecendo o aumento de c-Myc. (AU)

Processo FAPESP: 07/02223-6 - Estudo de proteínas selecionadas como potenciais marcadores em câncer de cabeça e pescoço
Beneficiário:Flávia Amoroso Matos e Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado