Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeitos do tramadol no modelo de dor induzida por obstrução intestinal em eqüinos

Texto completo
Autor(es):
Maristela de Cassia Seudo Lopes
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Jaboticabal. 73 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.
Data de defesa:
Membros da banca:
Juan Carlos Duque Moreno; Paulo Sérgio Patto dos Santos
Orientador: Carlos Augusto Araújo Valadão
Resumo

Avaliaram-se os efeitos clínico e comportamental da injeção intravenosa do tramadol no controle da dor induzida experimentalmente, por obstrução intestinal extraluminal, com dreno de Pen Rose. Foram utilizados 24 cavalos distribuídos em quatro grupos: controle (GC, n=6); obstrução duodenal (GD, n=6); obstrução de íleo (GI, n=6) e obstrução de flexura pélvica (GFP, n=6). Após medicação pré-anestésica com a associação de acepromazina (0,025 mg.kg-1 IV), xilazina (0,5 mg.kg-1 IV) e meperidina (4 mg.kg-1 IM), o tramadol foi administrado nas doses de 1,0 mg.kg-1 e 1,5 mg.kg-1, por via intravenosa (IV), imediatamente após a obstrução intestinal, em três cavalos de cada grupo. Avaliaram-se as freqüências cardíaca (FC) e respiratória (f), temperatura retal (TºC), tempo de preenchimento capilar (TPC), motilidade intestinal, comportamento relacionado à dor (olhar para o flanco, cavar, deitar e rolar) hemograma e hemogasometria venosa, nos intervalos: M0 (basal) a cada 0,5 hora de M1 a M6 , na fase de obstrução, e até três horas após a reversão do processo obstrutivo (M7 a M12). Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entres as doses utilizadas dentro de cada grupo, assim como entre os grupos. Houve aumento da FC em M11 no GD e em M12 no GFP. Os sinais de dor abdominal e atonia intestinal iniciaram-se em M5 no GFP e em M6 no GI. Nos animais do GD, os sinais de desconforto não progrediram. No leucograma foi observado um quadro característico de estresse e na hemogasometria os animais do GD tendenciaram à alcalose metabólica com compensação respiratória. Clinicamente, observou-se que a dose de 1,5 mg.kg-1 de tramadol proporcionou melhor conforto para os animais, porem sem significado estatístico, quando comparado coma dose de 1,0 mg.kg-1... (AU)

Processo FAPESP: 07/06154-9 - Avaliação do tramadol no tratamento da dor induzida por obstrução intestinal experimental em equinos
Beneficiário:Maristela de Cassia Seudo Lopes
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado