Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da complementação térmica de polimerização sobre a resistência flexural e dureza de resinas acrílicas para reembasamento

Texto completo
Autor(es):
Rosangela Seiko Seó
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araraquara. 177 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Odontologia (Campus de Araraquara).
Data de defesa:
Membros da banca:
Ana Lucia Machado; Renata da Cunha Matheus Rodrigues Garcia
Orientador: Carlos Eduardo Vergani
Resumo

O procedimento de reembasamento da prótese é normalmente utilizado para restabelecer a adaptação entre a prótese e o tecido bucal. As resinas autopolimerizáveis são um dos materiais indicados para o reembasamento. No entanto, tem sido demonstrado que, após a polimerização das resinas autopolimerizáveis, nem todo o monômero é convertido em polímero e esse monômero residual pode afetar as propriedades mecânicas desses materiais. Estudos têm sugerido que o conteúdo de monômero residual pode ser reduzido pela irradiação em microondas ou tratamento em banho de água. Esse estudo avaliou o efeito dos tratamentos térmicos sobre a resistência à flexão e dureza Vickers de quatro resinas autopolimerizáveis para reembasamento (Duraliner II - D, Kooliner-K, Tokuso Rebase Fast - TR e Ufi Gel Hard - UGH) e uma resina termopolimerizável (Lucitone 550 - L). Para cada material, trinta corpos-de-prova foram confeccionados e igualmente divididos em três grupos. No grupo controle, os corpos-de-prova foram submetidos ao teste de resistência à flexão imediatamente após sua polimerização. Previamente ao teste, os grupos 2 e 3 foram submetidos ao tratamentos complementares em banho de água e irradiação por microondas, respectivamente. Os corpos-de-prova do material para base de prótese foram armazenados em água por 48 horas a 37o l 1oC previamente ao teste. As medidas de força foram realizadas em máquina de ensaio universal MTS 810 com uma velocidade de 5 mm/min, utilizando o teste em três pontos a uma distância de 50 mm entre os apoios. Em seguida, um dos fragmentos do corpo-de-prova foi submetido ao teste de dureza Vickers. Os valores de dureza foram determinados utilizando-se uma carga de 25 gf (resinas K, TR, L e UGH) e 10 gf para a resina D, após 30 segundos de contato. Doze mensurações de dureza foram realizadas em cada corpo-de-prova e ... (AU)

Processo FAPESP: 01/01403-4 - Análise da resistência flexural e da dureza de resinas acrílicas para reembasamento do tipo imediato: efeito da complementação térmica de polimerização
Beneficiário:Rosangela Seiko Seó
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado