Busca avançada
Ano de início
Entree


Ecotoxicidade, segurança clínica e eficácia de fármacos em jovens de pacu (Piaractus mesopotamicus)

Texto completo
Autor(es):
Silvia Patrícia Carraschi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Centro de Aquicultura
Data de defesa:
Membros da banca:
Eduardo Makoto Onaka; Márcia Rita Fernandes Machado; Marco Antonio de Andrade Belo; Gilson Pereira
Orientador: Maria José Tavares Ranzani Paiva; Claudinei da Cruz
Resumo

O uso de fármacos no tratamento de doenças dos animais de criação na aquicultura é uma prática comum, devido ao manejo intensivo e a ocorrência de patógenos que podem causar perdas na produtividade. Objetivou-se avaliar quatro fármacos, a enrofloxacina (ENRO), o toltrazuril (TOL); o florfenicol (FFC) e o thiamethoxan (TH) no controle de parasitos e bactérias em pacu (Piaractus mesopotamicus), avaliar as variáveis histológicas e hematológicas após o tratamento e avaliar a toxicidade destes fármacos para o organismo alvo Piaractus mesopotamicus e para os bioindicadores: mato grosso (Hyphessobrycon eques); Lemna minor; Pomacea canaliculata e Daphnia magna. Nos ensaios de toxicidade os organismos foram aclimatados em salas de bioensaio de acordo com as normas vigentes para cada organismo e foram expostos às concentrações nominais em sistema estático. A eficácia do TOL no controle de Ichthyophthirius multifiliis, Trichodina heterodentata e Anacanthorus penilabiatus e da ENRO, de Aeromonas sp e Streptococcus sp foi avaliada em micro e mesocosmo. A eficácia do TH no controle de A. penilabiatus foi prospectada em laboratório e microcosmo e associado ao FFC, no controle de Aeromonas sp e Streptococcus sp, em mesocosmo. Após a eficácia em mesocosmo foi coletado sangue, para a análise hematológica e tecidos, para análise histopatológica. O FFC, a ENRO e o TH são pouco tóxicos e o TOL, moderadamente tóxico, pois o biondicador L. minor foi o end point para o FFC; o caramujo, para a ENRO e o mato grosso, para o TOL e TH. O TOL é eficaz no controle de I. multifiliis e T. heterodentata, o TH, contra A. penilabiatus e a ENRO e o FFC, Aeromonas sp e Streptococcus sp. Os fármacos não causam alterações hematológicas e histopatológicas que comprometam o desempenho zootécnico dos animais, sendo moléculas potenciais para obter registro brasileiro no tratamento de P. mesopotamicus (AU)

Processo FAPESP: 10/09888-6 - Ecotoxicidade, aspectos hematológicos e bioquímicos e eficácia de antibióticos e de ectoparasiticidas em pacu (Piaractus mesopotamicus)
Beneficiário:Silvia Patrícia Carraschi de Oliveira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado