Busca avançada
Ano de início
Entree

Melhorando a produção oral de sentenças em crianças com implante coclear: Efeito de instrução baseada em equivalência e treino de matrizes.

Resumo

Crianças que usam implantes cocleares (IC) e que são leitoras geralmente produzem uma fala mais precisa em resposta ao texto do que figuras. O ensino baseado em equivalência (EBE) pode ser uma rota para estabelecer a interdependência funcional entre esses operantes verbais. O presente estudo investigou se crianças com implante coclear e que leem melhorariam a precisão da fala quando tateavam figuras de cenas depois EBE que incluiu sentenças ditadas, figuras de cenas e sentenças impressas. Esse estudo avaliou se o ensino de relações verbais para sentenças da diagonal de uma matriz com combinações [sujeito]-[verbo]-[objeto] promoveu a generalização recombinativa para sentenças não-treinadas. Participantes eram três crianças com IC com uma fala mais precisa quando liam texto do que quando tateavam figuras de cenas. Eles foram ensinados a selecionar figuras de cenas em resposta a sentenças ditadas (AB) por matching-to-sample (MTS) e a construir sentenças impressas em resposta a sentenças ditadas (AE) por constructed-response-matching-to-sample (CRMTS). A produção da fala em resposta ao impresso (CD) e em resposta a figuras de cenas (BD) foi sondada para ambas sentenças treinadas e não-treinadas, usando uma linha de base múltipla entre participantes. Todos os participantes aprenderam as relações treinadas, mostraram a emergência de relações derivadas, e melhoraram a precisão da fala quando tateavam figuras de cenas. Eles foram capazes de recombinar os componentes das sentenças e tatear novas figuras usando sentenças não-treinadas da matriz. Esses resultados indicam que a precisão da fala e a produção gerativa de sentenças pode ser melhorada em crianças com IC a partir de intervenções que incorporem o EBE e o treino de matrizes.Trial registration: CAAE#01454412.0.0000.5441 registered 01/29/2013 (AU)