Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento dos mecanismos controladores do imprint genômico placentário do locus DLK1-DIO3 em mulheres portadoras de hipotireoidismo: envolvimento do T3 na susceptibilidade ao DM2 na prole

Processo: 18/06178-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Celia Regina Nogueira
Beneficiário:Celia Regina Nogueira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/25177-7 - Rastreamento dos mecanismos controladores do imprint genômico placentário do locus DLK1-DIO3 em mulheres portadoras de hipotireoidismo: envolvimento do T3 na susceptibilidade ao DM2 na prole, BP.TT
Assunto(s):Endocrinologia  Gravidez  Hormônios tireóideos  Hipotireoidismo  Placenta  Iodeto peroxidase  Epigênese genética  Metilação de DNA  RNA mensageiro  Perfilação da expressão gênica 

Resumo

O hormônio tireoidiano está amplamente envolvido nos processos de controle metabólico, desde o desenvolvimento fetal até a vida adulta. Disruptores no período gestacional que afetem áreas de controle epigenético, podem ser predisponentes ao desenvolvimento de doenças metabólicas, como o Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). Embora haja hipóteses acerca da redução da expressão da deiodinase 3 (D3) e alterações nos perfis de metilação do DNA do locus DLK1-DIO3 com a ocorrência intolerância à glicose no DM2, os mecanismos exatos acerca dessa relação tireoide-pâncreas ainda não foram completamente elucidados. Sendo assim, nossa hipótese é de que o hipotireoidismo possa ser um fator disruptor dos mecanismos de imprint genômico placentário, conferindo susceptibilidade ao desenvolvimento de DM2 no indivíduo adulto. Avaliaremos o perfil de expressão genica, microRNA e diferencial de metilação de ilhas CpGs localizadas no locus DLK1-DIO3 em placentas de gestantes portadoras de hipotireoidismo no sangue do cordão umbilical de su-as proles. Para tal, serão selecionados 2 grupos (n=20) de gestantes com hipotireoidismo gestacional e sau-dáveis e realizaremos o estudo comparativo do perfil de metilação do DNA placentário por pirosequenciamento (Pyromark Q24) pós bissulfito das zonas IG-DMR e MEG3-DMR além do perfil de expressão de mRNA e de microRNA por qRT-PCR. A comparação entre os percentuais de metilação entre os grupos será realizado pelo teste do Qui-Quadrado, aceitando diferença mínima de 40%, poder de 90% e significância de 5%. (AU)