Busca avançada
Ano de início
Entree

A proteinúria é associada com perda urinária de cubilina e proteína ligadora de vitamina D em pacientes com pré-eclâmpsia.

Processo: 20/02474-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de julho de 2020 - 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Humberto Dellê
Beneficiário:Humberto Dellê
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Proteinuria  Hipertensão  Nefrologia  Vitamina D  Insuficiência renal crônica 

Resumo

Mulheres com pré-eclâmpsia (PE) formam um grupo vulnerável à deficiência de vitamina D3. A reabsorção da vitamina D3 ocorre no túbulo proximal após a endocitose em combinação com DBP (proteína de ligação à vitamina D) pelo receptor de megalina / cubilina. Como a proteinúria promove lesão e disfunção nos túbulos, hipotetizamos que a proteinúria presente no PE poderia promover a perda desses componentes na urina.Vinte pacientes pré-eclâmpticas e dez gestantes normais com idade gestacional superior a 20 semanas compuseram três grupos: CN, gestantes normotensas com controle; PE, pacientes pré-eclâmpticas não proteinúricas; e PEP, pacientes pré-eclâmpticas com proteinúria. Quando a proteinúria estava ausente, a pré-eclâmpsia era diagnosticada de acordo com as diretrizes do Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG). Considerou-se a presença de proteinúria de 24 horas igual ou superior a 300 mg para formar o grupo de PEP. Cubilina urinária, megalina e DBP foram medidos por ELISA e normalizados por creatinina urinária.Em relação à idade gestacional, não houve diferença entre os grupos. O grupo NC apresentou pressão arterial dentro dos valores normais, enquanto os grupos PE e PEP apresentaram aumento significativo (p <0,01). Como esperado, o grupo PEP apresentou ACR elevado (p <0,05), acompanhado por grandes quantidades de cubilina e DBP na urina (p <0,05 vs. NC e PE). Não foi encontrada diferença na megalina urinária. Pacientes com PEP apresentaram maior chance de liberar cubilina na urina em comparação com pacientes não proteinúricos (odds ratio 12,7 (1,2-136,3).Em conclusão, este estudo reforça ainda mais a relação entre PE e deficiência de vitamina D3, uma vez que a proteinúria presente na PE induz a perda de moléculas responsáveis pela reabsorção tubular renal de vitamina D3 para ativação subsequente. Combinada com outros fatores, a proteinúria pode intensificar a deficiência de vitamina D3 na PE. (AU)