Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação farmacológica dos doadores de H2S (de liberação lenta e rápida) no comportamento de prurido e inflamação relacionada em pele de camundongos

Processo: 13/04151-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Soraia Katia Pereira Costa
Beneficiário:Soraia Katia Pereira Costa
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Marcelo Nicolas Muscara
Assunto(s):Prurido  Psoríase  Sulfeto de hidrogênio 

Resumo

O prurido ou coceira, assim como a dor, é uma experiência sensorial igualmente aversiva associada ao desejo de coçar-se. Mas, ao contrário da dor, existe grande carência de estudos que exploram os estímulos ou mecanismos de ação capazes de induzir a percepção da coceira. A terapia atual para esse sintoma restringe-se na classe de fármacos anti-histamínicos, que nem sempre atua satisfatoriamente para algumas formas de prurido, comuns em doenças dermatológicas (ex. psoríase) e sistêmicas (ex. diabetes, colestase), indicando, portanto, a existência de mecanismos distintos. Desta feita, a inclusão de agentes adicionais/complementares para o tratamento do prurido se faz necessária. Por seu turno, vários estudos atuais propõem um potencial emprego anti-nociceptivo e anti-inflamatório para o sulfeto de hidrogênio (H2S), o novo gasotransmissor endógeno. Ademais, outros achados sugerem que as alterações no equilíbrio endógeno do H2S estão associadas à disfunção de células e, consequentemente, na patogênese e sintomas da diabetes. É importante acrescentar que dados prévios deste grupo mostram, pela primeira vez, que doadores de H2S inibem marcantemente o comportamento de prurido (e inflamação cutânea relacionada) evocado por histamina e composto 48/80 em pele de camundongos, indicando um novo papel farmacológico para esse gás. Todavia, a caracterização dos mecanismos de ação envolvidos no prurido agudo e tampouco crônico ainda não foi estabelecida. Desta feita, considera-se pertinente o aprofundamento dessa investigação, cujo objetivo principal compreende averiguar a atuação do H2S (exógeno e endógeno) e seus mecanismos de ação no contexto da inibição das formas aguda (ex. histamina) e crônica (ex. psoríase) do prurido e inflamação associada. Considerando-se o papel do H2S no controle sensorial e da inflamação, a execução deste estudo poderá contribuir para melhor conhecimento da fisiopatologia e farmacologia do prurido e doenças de pele relacionadas. Serão realizados ensaios in vivo e in vitro na pele de camundongos isogênicos Balb/C tratados com doadores de H2S, usando-se modelos padronizados do laboratório de prurido e ensaios inflamatórios e bioquímicos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GIACONE, DANIELA V.; CARVALHO, VANESSA F. M.; COSTA, SORAIA K. P.; LOPES, LUCIANA B. Evidence That P-glycoprotein Inhibitor (Elacridar)-Loaded Nanocarriers Improve Epidermal Targeting of an Anticancer Drug via Absorptive Cutaneous Transporters Inhibition. Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 107, n. 2, p. 698-705, FEB 2018. Citações Web of Science: 3.
CAMPOS, DAIANA; RAVAGNANI, FELIPE G.; GURGUEIRA, SONIA A.; VERCESI, ANIBAL E.; TEIXEIRA, SIMONE A.; COSTA, SORAIA K. P.; MUSCARA, MARCELO N.; FERREIRA, HELOISA H. A. Increased glutathione levels contribute to the beneficial effects of hydrogen sulfide and inducible nitric oxide inhibition in allergic lung inflammation. International Immunopharmacology, v. 39, p. 57-62, OCT 2016. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.