Busca avançada
Ano de início
Entree

Differences in maternal plane of nutrition and body condition during late gestation coupled with estrus synchronization at weaning do not result in differences in embryonic development at 4 days of gestation

Processo: 13/15277-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Francisco Palma Rennó
Beneficiário:Francisco Palma Rennó
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

Este estudo foi realizado para avaliar os efeitos da energia da dieta associada a terapia hormonal no final da gestação e ao desmame sobre o perfil metabólico, o desempenho da leitegada, parâmetros reprodutivos e viabilidade do embrião na segunda gestação. Um total de 23 porcas primiparas com 75 dias de gestação foram distribuídos aleatoriamente em quatro tratamentos. Os tratamentos foram fatorial (2x2) combinações de duas estratégias nutricionais (alimentação com energia padrão [SE] e ração com alta energia [HE]) e duas terapias hormonais (600 UI de eCG e 72 horas após 2,5 mg de LH suíno [HO]) e sem hormônio [WH]. Os animais foram pesados semanalmente a partir de 75 d de gestação até 3 d antes do parto, 1 d após o parto, 7, 14 e 21 d em lactação e ao desmame. Espessura de toucinho (ET) foi mensurado em 75 d de gestação, 3 d antes do parto e ao desmame. Também foram calculadas ganho médio diário e o consumo médio diário de ração (CDR). Metabólitos plasmáticos foram analisados após 82, 89, 96 e 103 d de gestação, ao parto e, após 7, 14 e 21 d de lactação. Viabilidade embrionária foi avaliada após 4,55 d na segunda gestação. Durante a gestação, as porcas HE-tratadas exibiram BW maior (P <0,05) em comparação com as fêmeas SE-tratados, mas não foram observadas diferenças durante a lactação. Não foram observadas diferenças no peso dos leitões causados pelos tratamentos. Fêmeas tratadas com alta energia mostraram ET superiores (P> 0,05) em todos os períodos, no entanto, diferenças significativas foram detectadas apenas no pré-parto (P <0,05). Não foram observadas diferenças para CDR durante a lactação. O grupo SE mostrou ADG positivo, enquanto HE grupo mostrou ADG negativo (0,216 vs -0,266 kg / d, SE e HE, respectivamente, P <0,05). Tratados de alta energia fêmeas apresentaram maiores concentrações de colesterol total após 89 e 103 d de gravidez, e maiores concentrações de colesterol lipídios de alta densidade (HDL), após 89 e 96 d. Ao parto, 14 e 21 d de lactação, as concentrações de NEFA foram maiores (P <0,05) no grupo HE. Após o tratamento hormonal, não foram observadas diferenças em intervalos desmame-estro ea duração do estro. Maior mobilização de reservas corporais observadas no grupo HE durante a lactação não afetou negativamente o desempenho reprodutivo, sugerindo que o estado metabólico foi adequado para o primeiro catabolismo lactacional. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)