Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos ontogenéticos, funcionais e evolutivos das variações cambiais em traqueófitas

Processo: 13/10679-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de março de 2014 - 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Veronica Angyalossy
Beneficiário:Veronica Angyalossy
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Anselmo Nogueira ; Caian Souza Gerolamo ; Carolina Lopes Bastos ; Julio Cezar Majcher ; Marcelo Rodrigo Pace
Bolsa(s) vinculada(s):15/00157-2 - Confecção de laminário para estudos de traqueófitas, BP.TT
14/03464-0 - Aspectos ontogenéticos, funcionais e evolutivos das variações cambiais em traqueófitas, BP.TT
Assunto(s):Biomecânica  Anatomia  Lianas  Árvores  Anatomia vegetal 

Resumo

Variações cambiais são formas alternativas de crescimento secundário geradoras de grande diversidade anatômica e que surgiram várias vezes ao longo da evolução das plantas vasculares desde Pteridospermas fósseis, "Gimnospermas" a Eudicotiledôneas. As variações cambiais vêm sendo estudadas desde o século XIX e chamam a atenção por gerarem novas arquiteturas nos órgãos em que estão presentes, como nos caules tomando a forma de escadas (cipó escada de jabuti, Bauhinia-Leguminosae), cabos (Sapindaceae), cruzes de malta (Bignoniaceae), dentre outras. Variações cambiais também costumam ser táxon-específicas, sinapomórficas de alguns clados, como Bignonieae, tribo de Bignoniaceae, e Menispermaceae. As variações cambiais são muito diversas, mas podem ser divididas em dois grandes grupos: a) derivadas de um único câmbio ou b) derivadas de múltiplos câmbios. Apesar de conhecer-se bastante sobre os tipos das variações cambiais e as famílias onde ocorrem, pouco se sabe sobre os mecanismos geradores destas variações e as pressões evolutivas que favoreceriam o seu estabelecimento. Sabe-se que são mais comuns nos caules de lianas, tendo surgido múltiplas vezes em plantas com este hábito. A presença de variação cambial em lianas esta relacionada com o reparo a injúrias, no armazenamento de água e carboidratos, no desenvolvimento e sazonalidade da formação de xilema, na melhor condução de fotossintatos e também na variação da biomecânica do caule. Contudo, apesar da importância evidente das variações cambiais, pouco ainda se sabe sobre os mecanismos atuantes em sua seleção, sua ontogenia nos caules e raízes e seu padrão de evolução. Várias questões sobre o tema da variação cambial necessitam de respostas. Assim, no presente trabalho pretende-se adotar uma abordagem integrativa dentro da anatomia vegetal para explorar os seguintes aspectos, subdivididos em subprojetos: i. estudo do desenvolvimento das variações cambiais em caules e raízes; ii. sazonalidade da atividade cambial de espécies lianescentes com e sem variações cambiais; iii. anatomia comparada do sistema vascular: xilema e floema, de lianas e eretas; iv. impacto das diferentes formas da variação cambial presentes em Bignonieae (Bignoniaceae) no crescimento, biomecânica e condutividade hídrica de lianas em uma floresta de terra firme da Amazônia Central. Com esta abordagem pretende-se levantar dados que contribuam para uma melhor compreensão do papel das variações cambiais na evolução das plantas vasculares como um todo. (AU)

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GEROLAMO, CAIAN SOUZA; NOGUEIRA, ANSELMO; CAPELLOTTO COSTA, FLAVIA REGINA; DE CASTILHO, CAROLINA V.; ANGYALOSSY, VERONICA. Local dynamic variation of lianas along topography maintains unchanging abundance at the landscape scale in central Amazonia. JOURNAL OF VEGETATION SCIENCE, v. 29, n. 4, p. 651-661, JUL 2018. Citações Web of Science: 0.
PACE, MARCELO R.; ACEVEDO-RODRIGUEZ, PEDRO; AMORIM, ANDRE M.; ANGYALOSSY, VERONICA. Ontogeny, structure and occurrence of interxylary cambia in Malpighiaceae. FLORA, v. 241, p. 46-60, APR 2018. Citações Web of Science: 1.
AMORIM, ANDRE M.; MARINHO, LUCAS C.; PESSOA, CLEITON; PACE, MARCELO R. A new Heteropterys (Malpighiaceae) from semideciduous forest, with notes on wood anatomy. PLANT SYSTEMATICS AND EVOLUTION, v. 303, n. 2, p. 177-185, FEB 2017. Citações Web of Science: 3.
CABANILLAS, PABLO A.; PACE, MARCELO R.; ANGYALOSSY, VERONICA. Structure and ontogeny of the fissured stems of Callaeum (Malpighiaceae). IAWA Journal, v. 38, n. 1, p. 49-66, 2017. Citações Web of Science: 3.
BASTOS, CAROLINA LOPES; TAMAIO, NEUSA; ANGYALOSSY, VERONICA. Unravelling roots of lianas: a case study in Sapindaceae. ANNALS OF BOTANY, v. 118, n. 4, SI, p. 733-746, OCT 2016. Citações Web of Science: 6.
PACE, MARCELO R.; ZUNTINI, ALEXANDRE R.; LOHMANN, LUCIA G.; ANGYALOSSY, VERONICA. Phylogenetic relationships of enigmatic Sphingiphila (Bignoniaceae) based on molecular and wood anatomical data. Taxon, v. 65, n. 5, p. 1050-1063, OCT 2016. Citações Web of Science: 3.
PACE, MARCELO R.; LOHMANN, LUCIA G.; OLMSTEAD, RICHARD G.; ANGYALOSSY, VERONICA. Wood anatomy of major Bignoniaceae clades. PLANT SYSTEMATICS AND EVOLUTION, v. 301, n. 3, p. 967-995, MAR 2015. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.