Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da bioacumulação de arsênio e dos riscos associados ao consumo de peixes no Brasil

Processo: 15/08873-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Mario Henrique Gonzalez
Beneficiário:Mario Henrique Gonzalez
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Bioacumulação  Pescado  Peixes  Traços inorgânicos  Arsênio 

Resumo

O mercado de pescados no Brasil têm se expandido muito nos últimos anos, atingindo a marca em consumo médio de 11,4 kg por habitante no ano de 2011 e com previsão de um crescimento ainda maior. A busca crescente por essa fonte de alimento no país leva à uma preocupação associada a qualidade do pescado, principalmente se tratando de metais tóxicos presentes nas águas e sedimentos dos rios. Os peixes, assim como outros frutos do mar, têm a capacidade de bioacumular estes metais em seu organismo, seja por contato direto ou se alimentando de outros seres já contaminados. O arsênio é um destes contaminantes e está presente naturalmente em águas e sedimentos, e também advindo de atividades antropogênicas como queima de combustíveis fósseis e agrotóxicos. A maior parte do arsênio presente nos peixes está em na forma orgânica (ex. arsenobetaína) menos tóxica ao ser humano, porém existe uma porção em sua forma inorgânica (As(III) e (V)) e à esta deve ser dada maior atenção devido a sua toxicidade e carcinogenicidade. Este projeto tem como principais objetivos a determinação do teor de arsênio total, assim como o estudo da bioacumulação deste contaminante, e avaliação dos riscos à saúde humana pelo cálculo estimativo da quantidade ingerida através do consumo de pescados no Brasil. As determinações serão feitas pela técnica de espectrometria de massas com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS) e a digestão de amostras realizada por radiação micro-ondas em frascos fechados. O ICP-MS a ser empregado permite que se trabalhe na configuração padrão de análise e com a tecnologia de cela universal (UCT) possibilitando que o instrumento opere no modo de colisão por discriminação de energia cinética (KED), removendo uma grande parte dos interferentes poliatômicos. A estimativa de ingestão de arsênio permite avaliar os riscos à saúde através de valores de referência estabelecidos por órgãos internacionais como a Joint Food and Agriculture Organization of the United Nations/World Health Organization (FAO/WHO) Expert Committee on Food Additives (JECFA) que em 2011 recomendou um valor de ingestão variando de 2 à 7 ¼g kg-1 por peso corporal dia-1, correspondendo à dose limite para um acréscimo de 0,5% na incidência de câncer de pulmão (BMDL05). Os resultados obtidos nesse projeto serão de suma importância na caracterização dos níveis de segurança no consumo de pescados na região, e serão aplicados aos mesmos parâmetros de validação da metodologia e emprego de materiais de referência certificados. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERREIRA, NATHALIA S.; OLIVEIRA, LUCIANO H. B.; AGRELLI, VITOR; DE OLIVEIRA, ALINE F.; NOGUEIRA, ANA R. A.; OLIVEIRA, ANDREA; GONZALEZ, MARIO H. Bioaccumulation and acute toxicity of As(III) and As(V) in Nile tilapia (Oreochromis niloticus). Chemosphere, v. 217, p. 349-354, FEB 2019. Citações Web of Science: 2.
OLIVEIRA, LUCIANO H. B.; FERREIRA, NATHALIA S.; OLIVEIRA, ANDREA; NOGUEIRA, ANA RITA A.; GONZALEZ, MARIO H. Evaluation of Distribution and Bioaccumulation of Arsenic by ICP-MS in Tilapia (Oreochromis niloticus) Cultivated in Different Environments. Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 28, n. 12, p. 2455-2463, DEC 2017. Citações Web of Science: 4.
MARIO H. GONZALEZ; CAROLINE S. DA SILVA; CLARICE D. B. AMARAL; SILMARA R. BIANCHI; LUCIANO H. B. DE OLIVEIRA; JÉSSICA S. COELHO; ANDREA OLIVEIRA; ANA RITA A. NOGUEIRA. Determination of Elemental Impurities in Acyclovir Ointment and Raw Materials Using Microwave Acid Digestion (MW-AD) and ICP-MS. Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 28, n. 1, p. 98-105, Jan. 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.