Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2013/08166-5: stopped-flow

Processo: 15/10411-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Iolanda Midea Cuccovia
Beneficiário:Iolanda Midea Cuccovia
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08166-5 - Química em interfaces: interações de fármacos, peptídios e enzimas com membranas modelos, AP.TEM
Assunto(s):Lipossomos  Micelas  Cinética  Peptídeos 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Tipo de equipamento:Processos Físicos - Manipulação de amostras - Fluxo interrompido (stopped flow)
Caracterização de Materiais - Espectroscopia - Óptica (UV-Visível)
Fabricante: Fabricante não informado
Modelo: Modelo não informado

Resumo

Usando micelas e vesículas como modelos devemos focalizar perguntas que representam novas fronteiras no estudo de propriedades interfaciais usando metodologias com as quais vimos contribuindo há décadas e implantando novas técnicas em colaboração com pesquisadores do Brasil e do exterior. Podem-se desenhar surfactantes que se associem, formem vesículas, catalisem e sejam capazes de se auto-reproduzir e catalizar? Qual é o papel da bicamada lipídica na assimetria e nas propriedades seletivas de adsorção de íons ou sobre as propriedades eletrostáticas totais das membranas? Como pode esta seletividade de ligação de íons influenciar as interações membrana / peptídeo? Como se distribuem os íons no interior de vesículas? Qual o mecanismo de associação do íon triflato em micelas zwitteriônicas e positivas com tamanhos variáveis de cadeia? Como utilizar a reação de dediazonização de derivados diazobenzênicos substituídos para investigar escalas de nucleofilicidade relevantes para sistemas biológicos e determinar idealidade em misturas de solventes? Quais as propriedades de agregação, catálise e interação com vesículas de polímeros catiônicos sintéticos?. Como se comporta a paroxonase humana e a asparaginase quando interage com membranas? Qual o mecanismo de interação de BP100, um undecapeptídeo semissintético, com membranas? Podem-se incorporar eficientemente novos compostos imidazólicos e antiinflamatórios em lipossomos? As respostas a estas perguntas, que fazem parte de uma linha de pensamento do nosso grupo, devem trazer contribuições fundamentais e aplicadas na área de sistemas biomiméticos. (AU)