Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de sequenciamento completo de exomas em crianças e adolescentes brasileiros com Síndrome Nefrótica córtico-resistente

Processo: 15/20502-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maricilda Palandi de Mello
Beneficiário:Maricilda Palandi de Mello
Instituição-sede: Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Anna Cristina Gervasio de Britto Lutaif ; Gil Guerra Júnior ; Mara Sanches Guaragna ; Vera Maria Santoro Belangero
Assunto(s):Mutação  Crianças e adolescentes 

Resumo

A Síndrome Nefrótica (SN) afeta 16 em cada 100.000 crianças. Pode ser classificada em Congênita, quando se manifesta intra-útero ou durante os primeiros três meses de vida; Infantil, quando ocorre no primeiro ano de vida; na Infância, entre o primeiro ano até os 12 anos de idade e Juvenil, entre os 12 e os 18 anos de idade. Aproximadamente 20% das crianças não respondem ao tratamento com esteroides e são classificados como córtico-resistentes (CR); os 80% restantes são sensíveis aos corticoides, sendo chamados córtico-sensíveis (CS). O achado histológico mais comum é a glomérulo esclerose segmentar e focal (GESF). A causa principal das manifestações clínicas é a disfunção na barreira renal de filtração glomerular (BFG) que leva à perda maciça de proteínas essenciais através da urina. A SN é uma doença clínica e geneticamente heterogênea e alterações em mais de 20 genes já foram identificadas, sendo responsáveis pela etiologia de grande proporção dos casos de SNCR. Como triagem inicial, os três genes principais (NPHS1, NPHS2 e WT1) de 150 crianças brasileiras foram sequenciados pelo nosso grupo através do método Sanger. Foram identificadas mutações nestes três genes que explicaram os quadros clínicos correspondentes aos modelos de herança autossômico recessivo e dominante somente em 10 pacientes (6,7%). Desta forma, o sequenciamento completo do exoma apresenta-se como o próximo passo, pois seu grande potencial na detecção de variantes possibilitará a elucidação de casos ainda não esclarecidos, além do avanço no conhecimento da origem genética da Síndrome Nefrótica em pacientes pediátricos, que ainda está incipiente no Brasil. Como desafio tecnológico pretende-se implantar a metodologia de análise por sequenciamento high throughput que, tomando a Síndrome Nefrótica como exemplo, poderá ser aplicado ao estudo de outros grupos de pacientes em nosso laboratório. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Descobertas novas mutações relacionadas à síndrome nefrótica em crianças 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GUARAGNA, MARA SANCHES; DE BRITO LUTAIF, ANNA CRISTINA GERVASIO; DE SOUZA, MARCELA LOPES; MACIEL-GUERRA, ANDREA TREVAS; BELANGERO, VERA MARIA SANTORO; GUERRA-JUNIOR, GIL; DE MELLO, MARICILDA PALANDI. Promises and pitfalls of whole-exome sequencing exemplified by a nephrotic syndrome family. Molecular Genetics and Genomics, v. 295, n. 1, p. 135-142, JAN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.