Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliando os mecanismos de auto cura em macacos rhesus infectados com Schistosoma mansoni como uma nova base para uma vacina

Processo: 15/06366-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Sergio Verjovski Almeida
Beneficiário:Sergio Verjovski Almeida
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Adriana Silva Andrade Pereira ; Alessandra Soares Schanoski ; Eliana Nakano ; Jorge Elias Kalil Filho ; Murilo Sena Amaral ; Ricardo Jose Giordano ; Vania Gomes de Moura Mattaraia
Auxílios(s) vinculado(s):18/15049-9 - EPICURE: avaliando as alterações epigenéticas no desenvolvimento de Schistosoma mansoni após o tratamento in vitro com soros de macacos auto-curados da esquistossomose, AP.R
Assunto(s):Schistosoma mansoni  Vacinas  Macacos rhesus 

Resumo

Esquistossomas são hemoparasitas de ampla distribuição mundial causadores das esquistossomoses. Eles infectam centenas de milhões de pessoas e são, portanto, enquadrados como preocupação em saúde pública global. Em 2003 publicamos o primeiro conjunto de dados em larga escala do transcritoma de Schistosoma mansoni, o agente etiológico da esquistossomose no Brasil. Este conjunto de dados forneceu uma série de possíveis alvos que foram amplamente testados na literatura como candidatos vacinais. Infelizmente, um progresso muito limitado foi alcançado com os candidatos testados até agora, e são necessárias novas abordagens para rastrear possíveis novos alvos. Uma dessas abordagens envolve o modelo de estudo do macaco rhesus, que é capaz de se curar espontaneamente da infecção por Schistosoma. A presente proposta objetiva identificar os mecanismos da resposta imune, ainda não conhecidos, capazes de mediar a auto cura dos macacos rhesus frente à infecção e posterior desafio com S. mansoni. Especificamente, buscaremos quais anticorpos gerados pelos macacos rhesus são responsáveis pela resposta imune capaz de eliminar os parasitas e, então, identificaremos os alvos desses anticorpos. Para isso propomos utilizar, pela primeira vez neste modelo, a tecnologia de phage display, que será capaz de fazer um screening não-enviesado de todos os anticorpos dos macacos rhesus que medeiam a auto cura e que sejam gerados contra quaisquer proteínas conhecidas de S. mansoni. Desta forma, esperamos identificar vários novos antígenos candidatos a alvos vacinais que possam ser testados em estudos futuros para geração de uma vacina contra a esquistossomose. (AU)