Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos genes Kiss1 e GPR54 em crianças com puberdade precoce dependente de gonadotrofina idiopática

Processo: 08/55953-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ana Claudia Latronico Xavier
Beneficiário:Acácio Pinto da Silveira Neto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/04726-0 - Caracterização molecular das doenças endócrinas congênitas que afetam o crescimento e o desenvolvimento, AP.TEM

Resumo

A puberdade representa um processo biológico complexo do desenvolvimento sexual que tem início no final da infância e se caracteriza pela maturação do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal, pela ocorrência dos caracteres sexuais secundários, aceleração do crescimento e finalmente pela capacidade de fertilização. Nos últimos anos, o peptídeo kisspeptina e seu receptor GPR54 têm sido fortemente envolvidos na regulação da secreção pulsátil do GnRH hipotalâmico e portanto com o início da puberdade humana. Pesquisadores do nosso laboratório encontraram mutações nos genes GPR54 e KÍSS1 em crianças brasileiras com puberdade precoce dependente de gonadotrofina idiopática (PPDG). Estudos de amplificação e sequenciamento do DNA genômico de uma menina brasileira com PPDG idiopática revelou uma mutação em heterozigose no exon 5 do gene GPR54, resultando na substituição de prolina por arginina no códon 386 na região carboxi- terminal do receptor. Estudos de ligação in vitro realizados em células COS-7 transfectadas com o tipo selvagem ou mutante do GPR54 revelaram uma redução significante no índice de dessensitização do receptor mutante, resultando em aumento significante dos efeitos estimulantes da kisspeptina na secreção de GnRH. Além disso, o seqüenciamento do DNA de um menino com PPDG idiopática revelou também uma mutação em heterozigose no exon 3 do gene KiSS1, resultando na substituição de prolina por serina no aminoácido 74 da região terminal da kisspeptina. Estudos in vitro demonstraram que a kisspeptina mutante não afeta a via de sinalização intracelular do GPR54, assim como a sua afinidade de ligação ao receptor. Portanto, o mecanismo de ativação do gene KiSS1 ainda não foi esclarecido. Estas mutações nos genes KiSS1 e GPR54 não foram identificadas em um grupo controle, sendo associadas exclusivamente ao fenótipo de PPDG. No presente trabalho, estudaremos a presença de mutações ou polimorfismos conhecidos ou novos nos genes KÍSS1 e GPR54 em um maior grupo de crianças brasileiras portadoras de PPDG idiopática com o intuito de estabelecermos a real prevalência dessas mutações como causa de desenvolvimento sexual prematuro em humanos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVEIRA-NETO, ACACIO P.; LEAL, LETICIA FERRO; EMERMAN, AMY B.; HENDERSON, KATHERINE D.; PISKOUNOVA, ELENA; HENDERSON, BRIAN E.; GREGORY, RICHARD I.; SILVEIRA, LETICIA F. GONTIJO; HIRSCHHORN, JOEL N.; NGUYEN, THUTRANG T.; BENEDUZZI, DAIANE; TUSSET, CINTIA; REIS, ANA CLAUDIA S.; BRITO, VINICIUS N.; MENDONCA, BERENICE B.; PALMERT, MARK R.; ANTONINI, SONIR R.; LATRONICO, ANA CLAUDIA. Absence of Functional LIN28B Mutations in a Large Cohort of Patients with Idiopathic Central Precocious Puberty. Hormone Research in Paediatrics, v. 78, n. 3, p. 144-150, 2012. Citações Web of Science: 17.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NETO, Acácio Pinto da Silveira. Análise dos genes LIN28B, KISS1 e KISS1R em crianças com puberdade precoce central idiopática. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.