Busca avançada
Ano de início
Entree

SMolBNet 2.0: biologia de sistemas aplicada ao estudo das redes de interação das cinases NEK 1,4,6-9 e 11 e ao desenvolvimento de novos inibidores

Processo: 10/17842-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Jörg Kobarg
Beneficiário:Gabriela Vaz Meirelles
Instituição-sede: Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/05092-8 - Modelagem e análise das redes de interações das NEKs, incluindo potenciais inibidores, BE.EP.PD
Assunto(s):Neoplasias   Inibidores   Ciclo celular

Resumo

Cinases são proteínas reguladoras envolvidas em praticamente todos os aspectos funcionais das células, principalmente em vias de sinalização. O genoma humano codifica aproximadamente 518 proteínas cinases (2% do genoma humano) e, dentre as muitas cinases descritas, aquelas que atuam na regulação do ciclo celular têm sido consideradas, atualmente, os mais promissores alvos terapêuticos anti-câncer. A progressão da mitose e a montagem do fuso mitótico são reguladas por várias serina/treonina cinases, incluindo membros da família relacionada à NIMA (Neks: NIMA-related kinases), sendo os menos estudados e caracterizados funcionalmente. Os mamíferos apresentam uma extensa família de 11 Neks estruturalmente homólogas à NIMA, regulador mitótico indispensável em Aspergillus nidulans, as quais têm sido descritas como super-expressas em tumores ou como alvos de mutações em câncer. Este projeto tem como foco os estudos relacionados à função e estrutura das Neks 1, 4, 6-9 e 11 humanas, no contexto de uma Biologia de Sistemas (Systems Biology) aplicada, visando o desenvolvimento de modelos in silico para análise das redes de interação das Neks e de possíveis inibidores com potencial para testes pré-clínicos e clínicos. Realizaremos bioensaios in vitro e in vivo em larga escala, utilizando inibidores a partir de bibliotecas de compostos de origem diversa (comerciais, sintéticos e produtos naturais), além da implementação de uma plataforma de bioinformática e desenvolvimento de ferramentas computacionais fundamentais para integrar um extenso volume de dados (gerado a partir de ensaios de duplo-híbrido, imunoprecipitação de complexos e espectrometria de massa, microarranjo, high content screening, etc.), em modelos de redes regulatórias e de comportamento celular, que facilitem a validação de alvos terapêuticos e desenho de drogas.